Justiça determina suspensão do Enem

A juíza da 7° Vara Federal do Ceará, Carla de Almeida Miranda Maia, acatou o argumento do Ministério Público Federal do Estado e determinou a imediata suspensão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010 até posterior deliberação. A decisão tem efeito em todo o Brasil, de acordo com o MP do Ceará.

Solange Spigliatti, Agência Estado

08 Novembro 2010 | 15h58

 

Segundo o MP, a juíza acatou o argumento do MPF de que o erro da impressão do caderno de provas apresentava questões divididas entre o cabeçalho de Ciência e Natureza e de Ciências Humanas, levando prejuízo para os candidatos.

 

"A disponibilização do requerimento àqueles estudantes prejudicados pela prova correspondente ao caderno amarelo e a intenção de realizar novas provas para os que reclamarem administrativamente não resolve o problema. Novas provas poriam em desigualdade todos os candidatos remanescentes", afirmou a decisão da juíza.

 

Segundo o procurador da República Oscar Costa Filho, a decisão vem trazer segurança e estabilidade a todos que enfrentam essa comoção nacional. O fato do diretor do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) ter aventado realizar provas separadas para o mesmo concurso, apenas confirma o total desconhecimento dos princípios que informam os concursos públicos, entre os quais a igualdade, segundo o MP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.