Jovem é morto devido a suposto caso de bullying em Porto Alegre

Vítima sofria de ataques de bullying na escola, que originava ofensas, piadas e até agressões físicas

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

13 Maio 2010 | 10h00

SÃO PAULO - O adolescente Matheus Abvragov Dalvit, 15 anos, morreu no fim da noite de terça-feira, 11, em Porto Alegre, após levar um tiro de outro jovem, de 14 anos, após desentendimento por conta de prática de bullying na escola. O autor do disparo já se entregou à polícia.

 

Veja também:

linkMEC e Fiocruz criam curso para combater violência nas salas de aula

linkEscolas do MS reduzem violência com medidas polêmicas 

linkGoverno, prefeitura e escolas atacam problema do bullying 

 

Segundo informações do delegado Andrei Vivan, responsável pelo caso, a vítima sofria de ataques de bullying na escola, provavelmente devido ao seu porte físico grande, que originava ofensas, piadas e até agressões físicas. Matheus costumava se defender do bullying com agressões físicas.

 

O autor do disparo, um jovem de 14 anos, compareceu ao Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca), por volta das 10 horas desta quarta-feira, 12, e teria confessado o homicídio aos policiais. A arma que teria sido utilizada no crime foi encontrada no pátio da casa do jovem que confessou a morte.

 

De acordo com depoimento do suspeito, a vítima e ele se encontraram por volta das 23 horas de terça no bairro Vila Farrapos, na zona norte da cidade, e começaram uma discussão. O acusado então disparou um tiro contra o peito da vítima, que morreu no local.

 

Segundo o delegado Vivan, os adolescentes não estudavam na mesma escola, mas tinham conhecidos em comum e desavenças. Ele teria tomado as dores de um amigo que, por conta do bullying, teria sido agredido por Matheus.

 

O jovem, que andava armado há cerca de uma semana, "para se proteger de alguns desafetos", segundo o delegado, já foi encaminhado para a Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase).

 

A polícia está á procura de testemunhas do crime para dar continuidade à investigação para confirmar a verdadeira causa do assassinato. O amigo que teria sido agredido por Matheus ainda não foi localizado, segundo o delegado.

Mais conteúdo sobre:
mortebullyingPorto Alegre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.