Japoneses e chineses querem unificar história do século XX

Professores chineses e japoneses iniciaram nesta segunda-feira, 19, uma reunião de dois dias para tentar solucionar as diferenças na interpretação da história comum, um dos maiores problemas nas relações bilaterais entre os dois países.Espera-se que a reunião delibere em comitês os temas mais polêmicos, como as responsabilidades do Japão na Segunda Guerra Mundial e o massacre de Nanquim.A agência japonesa Kyodo informou que as duas partes realizaram a primeira reunião em dezembro, em Pequim, onde decidiram tentar reduzir a margem entre as interpretações dos dois países sobre sua história.O professor Shinichi Kitaoka, da Universidade de Tóquio, que comanda o grupo japonês, afirmou que as diferenças entre as perspectivas chinesa e japonesa sobre a mesma realidade histórica são exageradas.A delegação chinesa é liderada por Bu Ping, o diretor do Instituto de História Moderna da Academia Chinesa de Ciências Sociais.A reunião de acadêmicos, dez por cada país, planeja anunciar as conclusões de suas deliberações no final de 2008.As relações bilaterais entre Japão e China ficaram estremecidas recentemente por causa das polêmicas que a história do século XX ainda gera, como, por exemplo, as visitas do ex-primeiro-ministro do Japão Junichiro Koizumi ao templo Yasukuni, consagrado aos mortos em conflitos japoneses, entre eles 14 criminosos de guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.