Japão estuda facilitar ajuda a colégios de brasileiros

Governo nipônico estuda medidas para financiar educação dos que não podem mais pagar escola

Efe

02 de março de 2009 | 04h22

O Japão estuda pedir aos governos locais que facilitem o acesso a benefícios públicos por parte dos colégios privados para crianças de origem brasileira, informaram fontes do Ministério da Educação, nesta segunda-feira, 02, à Efe.   Os benefícios aos colégios são concedidos de acordo com uma série de critérios que devem ser estabelecidos pelas autoridades de cada província, mas os requisitos exigidos por alguns governos são muito restritos, na opinião de diretores desses colégios.   A maioria das escolas privadas brasileiras funcionam sem acesso à assistências governamentais e somente dependem das mensalidades que pagam os pais dos alunos.   Recentemente muitos estudantes de origem brasileira são obrigados a deixar as aulas porque seus pais perderam o emprego e não podem continuar com as mensalidades, segundo a agência local Kyodo. De forma indireta, as consequências da recessão econômica que acomete o Japão e as demissões que acontecem em muitas empresas têm levado alguns alunos destes colégios a ter que suspender as atividades escolares por algum tempo.   Pelo menos 50 mil brasileiros descendentes de japoneses perderam o emprego no Japão, nos últimos meses, como consequência da crise. O Ministério da Educação nipônico confirmou em janeiro uma equipe para debater as possíveis medidas para ajudar estes colégios.   Naquele país asiático, cerca de 10 mil estudantes assistem aulas em escolas peruanas ou brasileiras. Das escolas para estrangeiros no Japão, 97% são específicas para latino-americanos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.