Janine Ribeiro critica reorganização da rede estadual de SP

Ex-ministro disse que o governo Alckmin erra ao 'esquecer o papel educativo das escolas' na elaboração e execução da reestruturação

Isabela Palhares e Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

27 Novembro 2015 | 22h48

O ex-ministro da Educação do governo Dilma Rousseff Renato Janine Ribeiro escreveu nesta sexta-feira, 27, no Facebook que o governo Geraldo Alckmin (PSDB) erra ao “esquecer o papel educativo das escolas” na elaboração e execução da reorganização escolar da rede. 

“Ora, a turma, o prédio, o local fazem parte decisiva dessa identidade (de crianças e adolescentes). Alterá-los rapidamente, só por conveniência administrativa, é esquecer o papel educativo - insisto: educativo - dessa construção das relações com o espaço, com os colegas, com os adultos”, disse o ex-ministro.

Ribeiro ainda ressaltou que, se o governo tivesse mantido mais diálogo com os alunos, poderia ter evitado a onda de ocupações de unidades, que já chegou a 182 escolas.

“(Da forma como foi feita a reorganização), inverteu-se o papel do que seria pedagógico, educacional e, sobretudo, educativo. Passaram a ser mais educativas as tomadas de posse, pelos alunos, dos espaços escolares, do que a reorganização dos espaços escolares. Criou-se um conflito onde podia ter havido uma colaboração”, disse. 

 

 

A ocupação das escolas estaduais em São Paulo Renato Janine RibeiroEste não é um assunto nítido e claro. Há pontos a... Posted by Renato Janine Ribeiro on Sexta, 27 de novembro de 2015

E ressaltou ainda que a Secretaria da Educação do Estado pode reverter a situação com a discussão direta com cada comunidade escolar. “Mas ainda dá para transformar esse confronto em uma oportunidade, ela mesma, educativa”, concluiu. 

A pasta tem ressaltado que mantém o diálogo aberto e permanente com alunos e a comunidade escolar “a fim de ampliar o espaço e a participação deles no processo de reorganização das escolas”.

“As manifestações de alunos por maior participação na rotina de suas escolas é algo inédito e muito positivo. Mas não podemos deixar que o movimento se sobreponha ao direito de aprender e estudar da grande maioria”, disse o secretário da educação Herman Voorwald, em nota divulgada pela pasta ana quinta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.