Itália cria 1.ª Universidade de Ciências Gastronômicas

Cidadãos singulares, dispostos a aprofundar seus conhecimentos em gastronomia e capazes de pagar o equivalente a R$ 67.967 por uma matrícula (só a matrícula), poderão integrar o seletíssimo grupo de alunos da primeira universidade de Ciências Gastronômicas do mundo. A instituição está sendo criada no norte da Itália, com instalações em Cuneo e Parma.Se o altíssimo custo não for suficiente para restringir o acesso, o número de vagas será. Não mais do que 60 estudantes poderão freqüentar as aulas de disciplinas como Geografia dos Vinhos, Enologia, História da Alimentação, História da Gastronomia e Turismo Gastronômico.O funil fica ainda menor para os estrangeiros: no máximo, 30 não-italianos serão admitidos nesta turma de elite. As aulas começam em outubro.  Veja imagens de Cuneo, na região de Piemonte, via webcam

Agencia Estado,

25 de agosto de 2004 | 10h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.