Irmão diz que candidato telefonou após receber prova

Candidatos que fizeram a primeira prova da Fuvest 2005 numa escola da Lapa, na zona oeste de São Paulo, saíram da sala e usaram celulares mesmo depois de terem recebido as questões. A denúncia foi feita pelo irmão de um destes candidatos, que recebeu uma ligação. A Fuvest negou que isso tenha ocorrido.O exame começou às 13h00. De acordo com o irmão do vestibulando, às 13h30 o candidato ligou de seu celular contando que houve queda de energia na Faculdade e Colégio Módulo, local onde faria a prova. Relatou então que vários candidatos haviam deixado a sala e estavam no pátio.Depois da prova, o próprio candidato falou ao Estado e confirmou que os candidatos saíram para o pátio duas vezes, ocasiões em que observou o uso do celular por vários deles. "Encontramos outro pessoal e começamos a comentar a prova."Ele disse ter perguntado à coordenadora do local se haveria algum problema pelo fato de o exame já ter começado e eles estarem no pátio, e ela respondeu que não, pois não teria dado tempo de conhecerem o conteúdo da prova."Quase falei para ela que isso é uma coisa muito grave", comentou o estudante. Em sua sala, o teste só começou às 14h50, quando a situação se normalizou. "Houve uma falta de cuidado da Fuvest", afirmou o irmão do candidato.A Fuvest proíbe que candidatos entrem com celulares ou pagers nas salas. A queda de energia, segundo a entidade, não impediu que a maioria das salas continuasse a realizar o vestibular porque havia iluminação natural.A treineira de humanidades Renata Gerez, de 16 anos, conta que a luz começou a falhar e o ar-condicionado pifou quando já estavam com a prova em cima da mesa, mas ainda não estavam autorizados a abri-las.Às 13h45, um fiscal passou pela sala pedindo que o candidatos escolhessem entre esperar um técnico ou iniciar a prova.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.