Internos e detentos fazem Enem na terça e quarta-feiras

Também vão prestar prova 160 inscritos em duas cidades do ES afetadas por enchentes nos dias do exame, em dezembro

Elida Oliveira, Especial para O Estado de S. Paulo

02 Janeiro 2010 | 16h30

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será aplicado na terça e na quarta-feira para adolescentes internos e detentos de todo o País. As datas foram definidas pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) por questões de logística e segurança. Também farão a prova os 160 inscritos na cidade de Brejatuba e Ibatiba, no Espírito Santo, que sofreram com enchentes nos dias 5 e 6 de dezembro, quando o exame foi realizado por cerca de 2 milhões de estudantes em todo o País. Luis (nome fictício), de 19 anos, se preparou o ano inteiro para fazer o Enem. Cumprindo medida socioeducativa há pouco mais de um ano, ele diz que viu no exame uma oportunidade de melhorar de vida. Incentivado pelos funcionários da unidade com aulas de reforço, o rapaz enfrentou uma rotina parecida com a de vestibulando. Fez cursos de culinária, xilogravura e artesanato pela manhã, aulas regulares à tarde e cursinho à noite. "Quando cheguei aqui mal conseguia ler e escrever direito. Vi no Enem uma oportunidade de mudar, porque agora vou ter estudo", afirma Luis. Com o adiamento, ele chegou a pensar que não poderia fazer a prova. "Pensei que seria mais uma chance perdida." "Temos um funcionário formado em pedagogia e por iniciativa dele formamos uma turma do Enem, com cinco alunos. Três foram desligados, mas os demais continuaram estudando", diz Almir Carlos de Andrade, diretor da instituição. Para Roberto (nome fictício), de 18 anos, o Enem também representa mudança. "É uma oportunidade que pode abrir várias portas. Sem estudo, não somos nada e eu acho importante entrar na faculdade e ter emprego." Ele quer ser arquiteto. A Secretaria de Administração Penitenciária e a Fundação de Amparo ao Preso Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel (Funap) não souberam informar, até o fechamento desta edição, quantos detentos estão inscritos para o exame. Em São Paulo, a Fundação Casa inscreveu 401 adolescentes, mas somente 200 farão as provas. Os demais já saíram da internação. Há 6,5 mil adolescentes cumprindo medida socioeducativa de privação de liberdade no Estado, mas a maioria tem escolaridade defasada. Na unidade internato Fazenda do Carmo da Fundação Casa, em Itaquera, havia cinco em condições de prestar o exame em outubro. Hoje são dois. O Inep informou que o nível de dificuldade do Enem de janeiro será o mesmo da prova feita em dezembro. O exame usa a Teoria da Resposta ao Item (TRI) para compor o banco de questões, modelo que dá pesos diferentes às perguntas, segundo o grau de dificuldade. Na terça, o exame começa às 13 horas e vai até as 17h30. Serão aplicadas as provas de ciências da natureza e ciências humanas e suas tecnologias, com 90 questões. Na quarta-feira haverá uma hora a mais, das 13 horas às 18h30, e serão 90 questões de linguagens, códigos e suas tecnologias, matemática e a redação.

Mais conteúdo sobre:
pontoedu enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.