Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Intensivo

.

Luiza Pollo, O Estado de S. Paulo

27 Novembro 2016 | 07h00

Para os estudantes que não têm tempo de se dedicar às aulas, algumas instituições têm MBAs intensivos. Normalmente com a mesma carga horária de um curso regular, mas concentrada em curtos períodos, essa modalidade exige dedicação total, além de disciplina para estudar em casa.

Os intensivos podem ser uma boa opção para quem dificilmente consegue conciliar o dia a dia com as aulas, mas pode tirar um período de férias ou licença do trabalho, por exemplo. Como o executivo que faz MBA normalmente está em uma posição de destaque na empresa, muitas vezes tem a autonomia de pedir algumas semanas para se dedicar exclusivamente às aulas.

“Se é difícil se comprometer ou se a pessoa tem muitas responsabilidades familiares ou de trabalho, pode ser uma boa opção. Também quando é difícil focar em um ano compartilhando todas as responsabilidades”, diz Paula Braga, coach pessoal e profissional.

Há ainda a opção de fazer um curso semipresencial, como o intensivo oferecido na Universidade Paulista (Unip). Ao todo, tem duração de seis meses. “A carga horária e a qualidade são as mesmas de todos os nossos cursos. Mas o aluno precisa se dedicar bastante”, afirma Jesuino Júnior, diretor do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da Unip.

Já o Insper tem o MBA modular intensivo. São 21 módulos de uma semana cada, com aulas em período integral, a cada 45 dias. Mais jovem do que a maioria dos colegas, Alice Beck da Silva Marcondes, de 25 anos, explica que decidiu fazer um MBA cedo pois trabalha em uma empresa familiar e se prepara para a sucessão.

Alice mora em Curitiba e procurava uma instituição de renome com um bom curso. “Eu tinha referências muito boas do Insper e queria algo diferenciado. Com esse MBA, consigo programar a logística e o traslado.” A aluna, com formação em Administração e pós-graduação em Marketing, tem flexibilidade na empresa para se ausentar por períodos de uma semana e também se dedica a estudar em casa.

Silvio Laban, coordenador do MBA do Insper, afirma que a instituição destaca esse ponto para todos os estudantes. “Enfatizamos a importância do planejamento. Se o aluno acha que vai dar conta de preparar o conteúdo de um dia para o outro, vai ser difícil. É uma questão de encontrar a melhor forma de distribuir seu planejamento no tempo.”

Público diverso. Outro ponto que merece atenção é o networking. A coach pessoal Paula alerta que, assim como nos cursos a distância, o MBA intensivo exige dedicação extra na hora de fazer bons contatos profissionais. “É difícil criar laços longos em um período tão curto, mas em termos de aprendizado todos têm a possibilidade.”

Os alunos dessa modalidade no Insper, segundo Laban, têm perfis bastante variados. Além dos moradores de São Paulo que optam pelo intensivo por causa da logística, há estudantes de diferentes partes do País. Alice destaca a diversidade como vantagem. “A gente faz trabalhos em grupo por Skype e WhatsApp. A comunicação é bem viável. Acho que o fato de a maioria da turma não ser de São Paulo é um ponto positivo. Há uma troca muito grande.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.