Instituto Pasteur une história e avanço científico

A pequena italiana Dina Pagni tinha 9 anos quando foi mordida por um cão. O operário português Antonio Trigo tinha 43. Os dois foram os primeiros pacientes atendidos pelo Instituto Pasteur, que completou cem anos neste mês. O instituto é referência nacional em pesquisa e controle de raiva animal e humana.O Pasteur ocupa um dos cinco casarões mais antigos da Avenida Paulista. Criada por um grupo de homens influentes na sociedade da época, a instituição nasceu com a missão de pôr a ciência a serviço da saúde da população, como fez o pesquisador francês Louis Pasteur durante toda sua vida.A entidade, que era privada, foi doada ao governo estadual em 1918. Em todo o Estado, o instituto é o único laboratório que faz diagnóstico de raiva humana.Técnicas evoluíramAs técnicas evoluíram nesse período. Se há cem anos, os processos eram artesanais, hoje a equipe do Pasteur trabalha com seqüenciamento genético do vírus da raiva, em parceria com o Centro de Controle de Doenças de Atlanta, nos Estados Unidos. No ano que vem, o instituto terá seu próprio seqüenciador para fazer todo o trabalho por aqui.Mas não é só a raiva que está no foco do Pasteur. "Fazemos pesquisa para resolver questões relacionadas ao atendimento da população", diz Neide Takaoka, diretora do Instituto Pasteur.A raiva humana foi controlada no Estado graças ao trabalho desenvolvido pela entidade. Entre 1983 e o ano passado, a doença provocou 20 mortes no Estado. De 1975 a 1982, foram 112. O último caso fatal de raiva humana do Estado foi registrado em 2001, no município de Dracena.A morte foi resultado de diagnóstico tardio, pois a paciente - uma mulher de 52 anos - não procurou o serviço médico depois de ser mordida por sua gata de estimação. O animal pegou a doença depois de caçar um morcego.Mês do institutoÉ essencial que gatos e cachorros sejam vacinados uma vez por ano. Depois de o filhote tomar a primeira dose, ele precisa de um reforço no mês seguinte. É justamente no mês do aniversário do Instituto Pasteur que os municípios organizam suas campanhas de vacinação contra raiva em cães e gatos.Neste mês do centenário, o instituto organizou uma exposição para comemorar. Informações sobre horários e local da exposição podem ser obtidas pelo telefone 11-288-0088.

Agencia Estado,

14 de agosto de 2003 | 13h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.