RENATO CÉSAR PEREIRA/FUTURA PRESS
RENATO CÉSAR PEREIRA/FUTURA PRESS

Inscrições para vestibular da Unicamp começam nesta segunda

Com duas fases de seleção, Unicamp irá ofertar 3.320 vagas em 70 cursos de graduação. Taxa de inscrição é de R$ 150

O Estado de S. Paulo

03 Agosto 2015 | 10h48

SÃO PAULO - Começaram nesta segunda-feira, 3, as inscrições para o vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). As inscrições seguem até o dia 3 de setembro, exclusivamente pela internet, pelo site da Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest).

Ao todo, serão oferecidas 3.320 vagas em 70 cursos. A taxa de inscrição do vestibular é de R$ 150 e deve ser paga até o dia 4 de setembro. No site da Comvest é possível acessar gratuitamente o kit do vestibulando, com o Manual do Candidato e a Revista do Vestibulando. 

O vestibular da Unicamp tem duas fases, sendo que a primeira prova está marcada para o dia 22 de novembro e as provas da segunda fase, nos dias 17,18 e 19 de janeiro de 2016. Antes da primeira fase, os candidatos aos cursos de Música farão a prova de Habilidades Específicas, no período de 24 a 28 de setembro.

Neste ano, a universidade ampliou o número de cidades no Estado de São Paulo que terão aplicação da prova. Ao todo, serão 25 cidades no Estado, sendo que as novas cidades são Araçatuba, Avaré, Franca, Guaratinguetá e Osasco. Fora de São Paulo, a prova é aplicada apenas em Brasília. 

A estrutura para aplicação da prova para candidatos com deficiência foi ampliada também para o município de Ribeirão Preto. Até o ano passado, apenas São Paulo e Campinas tinham essa estrutura. 

BônusA Unicamp decidiu aumentar a bonificação no vestibular para alunos de escola pública e pretos, pardos e indígenas (PPI). A mudança é uma tentativa de aumentar as taxas de inclusão na universidade, que em 2015 teve o pior resultado em cinco anos. Antes, os candidatos tinham direito ao bônus somente na segunda fase do vestibular.

Os pontos extras, agora, serão acrescidos às notas tanto da primeira e da segunda etapa. A Unicamp não adota cotas, mas um sistema de bonificação. Serão adicionados 60 pontos às notas da primeira fase do vestibular para candidatos que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas da rede pública. Nesse grupo, os autodeclarados pretos, pardos ou indígenas ainda terão direito a outros 20 pontos extras. 

Além da bonificação na primeira fase, os candidatos que passarem para a segunda fase e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas da rede pública, contarão com adição de mais 90 pontos na prova de redação e outros 90 nas provas dissertativas. Os autodeclarados pretos, pardos ou indígenas contarão com mais 30 pontos em cada uma das provas da segunda fase.

Demanda. A Unicamp também ampliou o limite máximo de candidatos convocados para a segunda fase em cursos de alta demanda, com relação de 200 ou mais candidatos por vaga. Nesses cursos, o limite será de convocação de dez vezes o número de vagas do curso. Antes, esse índice era de oito vezes.

Para os demais cursos, com até 100 candidatos por vaga, o limite de convocação continua o mesmo, de seis vezes o número de vagas. E nos cursos com concorrência entre 100 e 199, será de no máximo oito vezes o número de vagas.

Mais conteúdo sobre:
EducaçãoVestibularUnicamp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.