Inscrições para o vestibular da FGV começam na segunda

Candidatos podem se inscrever para o novo curso de História da FGV carioca

Bruna Tiussu, Especial para O Estado de S. Paulo

08 Julho 2009 | 20h03

As inscrições do vestibular 2010 da FGV de São Paulo e do Rio estarão abertas a partir de segunda-feira, dia 13, e terminam em 28 de setembro, no site www.fgv.br/vestibulares. Os candidatos que se inscreverem até a tarde de 13 de agosto pagarão taxa de R$ 75,00. Após as 18 horas desse dia, o valor cobrado será de R$ 150,00.   No Rio, há duas formas de seleção, vestibular ou Enem, pois 20% das vagas do vestibular serão destinadas aos alunos que tiverem nota superior a 8 no Exame Nacional do Ensino Médio. Caso queiram, os candidatos podem se inscrever nos dois meios de ingresso, mas terão de pagar duas taxas de inscrição. As provas no Rio para os cursos de Economia, Administração de Empresas, Direito, Ciências Sociais e História serão realizadas em 25 de outubro. A FGV de São Paulo oferece as graduações em Direito, Administração de Empresas e Economia. No último vestibular, o curso de Direito foi o mais procurado, com 17,68 candidatos/vaga. A FGV paulista não usa a nota do Enem. Neste ano, cada escola marcou uma data para seu exame vestibular:Escola de Administração de Empresas: 6 de dezembroEscola de Economia: primeira fase em 29 de novembro e segunda em 13 de dezembroDireito: primeira fase em 1 e 2 de novebro e a segunda entre os dias 7 e 11 de dezembro FGV do Rio terá curso de graduação em História A partir de 2010 a FGV oferecerá graduação em História, com 50 vagas, elevando para cinco o número de cursos oferecidos. A instituição também oferece graduação em Economia ­­-- curso mais concorrido no vestibular passado, com 10,16 candidatos/vaga --, Administração de Empresas, Direito e Ciências Sociais. Segundo o coordenador de História, Carlos Eduardo Sarmento, há um movimento para a criação de novos cursos na FGV desde 2003. "No ano passado tivemos a autorização do MEC para a graduação. Passamos, então, um ano construindo o curso." A nova graduação foi estruturada a partir do Centro de Pesquisa e Documentação Histórica (CPDOC - www.cpdoc.fgv.br), órgão da FGV que há 35 anos faz pesquisa e armazena documentos sobre a história recente do País. Além de preparar o historiador para entender a complexidade da sociedade brasileira, Sarmento diz que há uma preocupação em preparar profissionais adaptados às novas tecnologias de informação. "Antes, era ensinado como passar o conhecimento nas salas de aulas e seminários, hoje temos outras formas, como os podcasts e todos os meios digitais. O historiador deve saber trabalhar o conteúdo e as diversas plataformas que permitam uma interatividade maior."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.