Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

ProUni 2019: inscrições começam nesta quinta com mais de 240 mil bolsas

Interessados podem se inscrever até 3 de fevereiro; resultado da primeira chamada do Programa Universidade para Todos será divulgado no dia 6

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

17 Janeiro 2019 | 18h30
Atualizado 31 Janeiro 2019 | 11h50

SÃO PAULO - As inscrições para o Programa Universidade para Todos  (ProUni), que oferece bolsas de estudo integrais e parciais em instituições de ensino superior privadas, começam nesta quinta-feira, 31, e vão se estender até as 23h59 do dia 3 de fevereiro.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC)serão ofertadas 243.888 bolsas, das quais 116.813 são integrais e 127.075 são parciais. O ministério informou que, nesta primeira edição, participam do programa 1.239 instituições de educação superior de todas as regiões do País.

O processo seletivo para o ProUni é para o primeiro semestre de 2019 e tem como foco estudantes egressos do ensino médio na rede pública ou de escolas particulares caso tenham sido bolsistas integrais, pessoas com deficiência e professores da rede pública. O candidato também precisa ter renda familiar per capita de até três salários mínimos.

Ter realizado a última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não ter diploma de ensino superior são outros requisitos para participar do ProUni. As inscrições dever ser feitas pelo site do programa do MEC.

Para ter bolsa integral do ProUni, o candidato deve ter renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo. As parciais (50%) são voltadas para quem tem renda familiar per capita de até três salários mínimos.

O ProUni foi criado em 2004 e institucionalizado pela Lei nº 11.096, em 13 de janeiro de 2005, durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele ocorre uma vez por semestre e, de acordo com o MEC, foram ofertadas 242.987 bolsas, no primeiro semestre, e 174.289, no segundo semestre, no ano passado.

O MEC informa que, desde sua criação até o processo seletivo do segundo semestre de 2018, mais de 2,4 milhões de estudantes já foram atendidos pelo programa, dos quais 69% foram com bolsas integrais. O número de bolsas disponíveis para o primeiro semestre deste ano ainda será divulgado.

Ao se inscrever no ProUni, o estudante deve informar o número de inscrição na edição de 2018 do Enem e a senha cadastrada no exame, e-mail e telefone atualizados, além de seus dados cadastrais e referentes ao seu grupo familiar. Também deve indicar, em ordem de preferência, opções de instituição, local de oferta, curso, turno e tipo de bolsa.

Vagas ofertadas no ProUni

Para o primeiro semestre de 2019, serão ofertadas 243.888 bolsas, sendo 116.813 integrais e 127.075 parciais. Segundo o MEC, as vagas estão disponíveis em 1.239 instituições de educação superior de todo o País.

A lista de instituições participantes do ProUni neste ano pode ser consultada pelo portal do ProUni. As bolsas podem ser consultadas por curso, instituição ou município.

Documentos exigidos pelo ProUni

Candidatos selecionados deverão fazer a matrícula na faculdade para as quais foram aprovados. Nesse momento, precisarão apresentar documentos como de identificação, comprovante de residência, comprovante de rendimentos dele e da família e comprovante de conclusão de ensino médio em escola pública ou de recebimento de bolsa de estudos durante o ensino médio em escola particular. Para mais informações sobre a documentação, consulte a portaria do Ministério da Educação.  

Chamadas

Serão feitas duas chamadas do ProUni e os resultados serão divulgados nos dias 6 e 20 de fevereiro. Os aprovados na primeira chamada terão de se apresentar nas faculdades para comprovar informações e prestar processo seletivo próprio da unidade, caso a entidade tenha, entre os dias 6 e 14 de fevereiro. Para a segunda chamada, o prazo será de 20 a 27 de fevereiro.

O registro de aprovação ou reprovação no Sistema Informatizado do Prouni (Sisprouni), assim como a emissão dos termos de concessão ou reprovação de bolsa serão feitos pelas instituições de ensino superior entre os dias 6 e 18 de fevereiro, para a primeira chamada, e 20 de fevereiro a 1º de março, para a segunda. O calendário do programa pode ser consultado aqui.

Espera

Os candidatos também podem participar da lista de espera do ProUni, mas precisam se cadastrar no site do programa nos dias 7 e 8 de março. As faculdades terão como acessar a lista no dia 11 de março e os estudantes que se inscreverem devem se apresentar nas instituições nos dias 12 e 13 de março. O registro de aprovados e reprovados para a lista de espera do ProUni será realizado no período de 14 a 21 de março.

Nota

O MEC estabelece que a nota mínima para participar no ProUni é de 450 pontos na média aritmética das notas obtidas nas provas do Enem. O cálculo é feito a partir da soma das notas das cinco provas do exame e, depois, dividindo por cinco. Outra exigência é que a nota da Redação deve ser maior do que zero.

SAIBA MAIS

Qual a diferença entre ProUni e Sisu?

O ProUni oferece bolsas de estudos em instituições privadas de educação superior e tem como foco estudantes brasileiros sem diploma de nível superior e com renda de até três salários mínimos. O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é o sistema informatizado, gerenciado pelo MEC, por meio do qual as instituições públicas de educação superior participantes selecionam novos estudantes exclusivamente pela nota do Enem.

Quem se inscreve no Sisu pode participar do ProUni?

Desde que se enquadrem nas regras específicas do ProUni, é possível. No entanto, se for selecionado pelo ProUni, deverá optar pela vaga do Sisu ou pela bolsa do programa, pois o bolsista não pode utilizar uma bolsa do programa e estar em instituição de ensino superior pública e gratuita.

Qual a nota mínima do ProUni?

O Ministério da Educação estabelece que a nota mínima para participar no ProUni é de 450 pontos na média aritmética das notas obtidas nas provas do Enem

Quais são os critérios de desempate?

Leva em consideração a maior nota das seguintes provas: Redação; Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias.

O que ocorre se o estudante que vai receber 50% da bolsa não puder pagar a mensalidade?

O bolsista parcial poderá utilizar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para a parte da mensalidade não coberta pela bolsa. Não será necessário apresentar fiador para contratar o financiamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.