Inep vai mudar local de prova de 1.200 alunos para Enem

Estudantes fariam o exame em municípios diferentes de onde residem

Fabiana Cimieri, de O Estado de S. Paulo,

30 Setembro 2009 | 18h14

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) irá mudar os locais de provas de cerca de 1.200 candidatos, que fariam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em municípios diferentes de onde residem. Segundo o diretor de avaliação da educação básica do Inep, Héliton Ribeiro Tavares, até esta quarta-feira, 30, cerca de 6.000 candidatos haviam pedido a realocação, mas a prioridade será atender aqueles que teriam de fazer a prova fora da cidade. Os pedidos podem ser feito até o meio-dia de quinta-feira, 1, através do e-mail faleconosco@inep.gov.br.   Veja também:  Simulado do Enem 2009  Novo Enem pede mais atenção nas questões de exatas  Como você está se preparando para o Enem? Alunos se organizam para chegar ao Enem Governo admite que houve erro Alunos fazem prova a 50 km de casa Com Enem, estudantes podem concorrer a mais vagas   "Vamos resolver cerca de 2.000 casos. Em cerca de dois terços dos pedidos houve pequenas falhas dos candidatos". Alguns selecionaram como local de prova municípios adjacentes na listagem alfabética, outros erraram o CEP, explicou Tavares, detalhando os erros mais comuns. Os pedidos de mudança de local dentro da própria cidade não deverão ser atendidos. "Não dá para todo mundo fazer a prova na escola mais próxima de casa", afirma.   Para Tavares, as reclamações sobre os locais de prova não podem ser atribuídas ao Consórcio Nacional de Avaliação e Seleção, CONNASEL, que organiza o concurso. "Estamos fiscalizando de perto e se houvesse algum problema eles seriam multados e não poderiam participar de novas licitações", afirmou, acrescentando que até o momento não houve nenhuma denúncia de fraude.   O consórcio, formado pela Consultec, que lidera o processo, FunRio e Instituto Cetro, com sedes respectivamente em Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo, foi o único a participar da licitação para o Enem. "Muitas empresas não têm capilaridade para chegar a todos os municípios. Nesse caso, as três empresas dividiram o exame para poder dar conta".   O Connasel é responsável por toda a logística, desde o recebimento da base de inscritos, a alocação dos candidatos nos locais de exame, a impressão e aplicação das provas, até a leitura ótica dos cartões de resposta e correção das redações.   A estrutura exigida este ano é maior do que nos anos anteriores. O número de pessoas envolvidas na realização do concurso passou de 280 mil em 2008 para 350 mil agora. "Tivemos a preocupação de dar mais segurança ao processo", disse Tavares.   Esquema de segurança   Como nos anos anteriores, haverá quatro tipos de prova, mas diferentemente do que acontecia antes, elas não terão cores diferentes, serão todas brancas. O número de funcionários nos locais de provas também irá aumentar. "Queremos garantir que ninguém sairá com a prova antes do prazo".   O Enem está marcado para começar às 13h no sábado e domingo. Os alunos podem ser liberados a partir das 15h, mas só após as 17h podem levar o caderno de questões. O gabarito sairá apenas as 19h do domingo, no site do Inep.   De acordo com Tavares, todos os municípios já receberam as provas, que ficarão em lugar seguro até o dia do exame. No sábado, serão aplicadas as questões de ciências humanas e da natureza. No domingo, será a vez das provas de código e linguagem, matemática e redação. "Não podemos revelar como será feito o transporte até os locais de prova e outros detalhes por questões de segurança", explicou o diretor do Inep.

Mais conteúdo sobre:
Enem Inep

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.