Inep prevê atraso de um mês na divulgação das notas do Enem

Data da realização da prova será anunciada 'nos próximos dias', diz informa publicado pelo instituto na internet

01 Outubro 2009 | 16h10

Em nota oficial publicada em seu site, Inep, órgão do Ministério da Educação (MEC), informa o cancelamento da prova do Enem que seria aplicada neste fim de semana, por conta do vazamento das questões que compunham o exame. Embora o ministro da Educação, Fernando Haddad,  tenha mencionado um prazo de "cerca de 45 dias" para a aplicação de uma nova prova, a nota do Inep diz apenas que a nova data será anunciada "nos próximos dias".

 

Repórter do Estado relata bastidores do vazamento do Enem em blog

Mande suas dúvidas e comentários sobre o vazamento

Ouça na íntegra a entrevista do ministro à Eldorado

Acompanhe ao vivo a repercussão no Twitter

Leia mais sobre a cobertura do caso

 

Segundo a nota, a divulgação do resultado do Enem - importante para o acesso a várias universidades, que adotam o exame como parte de seus processos seletivos ou, até, em substituição ao vestibular - previsto para 8 de janeiro, deve atrasar "em cerca de um mês". A nota conclui afirmando que o MEC "trabalha para minimizar os efeitos do atraso".

 

Eis a íntegra da nota:

O Ministério da Educação informa que as provas do Enem marcadas para este final de semana foram adiadas por motivos de segurança.

 

O Inep já possui uma segunda prova e deve anunciar a nova data nos próximos dias, depois de reorganizar a logística.

 

O Ministério da Educação já tomou providências junto ao Ministério da Justiça e a Polícia Federal no sentido de apurar eventuais responsabilidades criminais relativas ao vazamento.

 

Os estudantes inscritos serão comunicados oportunamente pelos meios habituais da confirmação da nova data e do local das provas.

 

Em razão do adiamento, o resultado final das provas, inicialmente previsto para o dia 8 de janeiro, deve atrasar em cerca de um mês.

 

O Ministério da Educação trabalha para minimizar os efeitos do atraso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.