Incêndio destrói capela de 1850 da UFRJ

A capela São Pedro de Alcântara, construída em 1850 e tombada pelo Patrimônio Histórico, foi destruída ontem por um incêndio. Ela ficava no 3.º andar do Palácio Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na Praia Vermelha, zona sul do Rio. O incêndio começou por volta das 14h30 na cúpula, que era restaurada. Ninguém ficou ferido. “É desolador, mas vamos restaurar, deixar como era”, disse Aloísio Teixeira, reitor da UFRJ.

Bruno Boghossian/RIO, O Estado de S. Paulo

29 Março 2011 | 02h16

 

Será uma empreitada difícil. O telhado e o chão de madeira da capela desabaram. O incêndio atingiu os três andares do prédio. No 1.º funcionava um almoxarifado e uma sala para guardar documentos. A antessala da capela ficava no 2.º andar e no último, a igreja.

 

O fogo se espalhou rapidamente. “Parece que foi um acidente na solda”, disse Beatriz Resende, coordenadora do Fórum de Ciência e Cultura, responsável pelo espaço. Se ficar comprovado que houve falha da empresa responsável pela obra, a UFRJ abrirá processo. Antes, os prédios da Praia Vermelha abrigavam o Hospício de Pedro II. Lá foram internados o escritor Lima Barreto e o músico Ernesto Nazareth.

Mais conteúdo sobre:
UFRJIncêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.