THIAGO TEIXEIRA/AE
THIAGO TEIXEIRA/AE

Imersão total nos estudos é a dica para quem vai prestar concurso

Especialistas dizem que o segredo para passar é planejamento e comprometimento

REGINA ABRÃO, O Estado de S. Paulo

16 Outubro 2011 | 16h45

Além dos concursos públicos em andamento, outros são aguardados com ansiedade por quem pretende conquistar um emprego, como os para técnico do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), escriturário do Banco do Brasil, técnico e analista do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo e auditor fiscal tributário do município de São Paulo. Todos já foram autorizados e os editais podem sair a qualquer momento. Por isso, quem vai disputar uma vaga no serviço público deve arregaçar as mangas e começar a estudar já. Para não ser pego de surpresa, a recomendação de especialistas é sair na frente e estudar com antecedência.

 

Segundo o diretor de recursos humanos da escola Central de Concursos, José Luis Romero Baubeta, da publicação do edital, que define as regras do certame, até a data das provas o espaço de tempo é muito curto, de 60 a 90 dias. "Não é recomendável, pedagogicamente, deixar para estudar somente quando sair o edital, mesmo que o candidato tenha uma boa base", ensina.

 

O jurista, cientista criminal e presidente da rede de ensino LFG, Luiz Flávio Gomes, diz que o pretendente, ao escolher a prova da qual vai participar, deve agir como de esse fosse o seu maior projeto de vida. "O candidato deve se comprometer com seus estudos, ter foco no seu objetivo e muita dedicação."

 

Sobre as matérias que deve estudar, Gomes ressalta que todo processo seletivo tem um programa de disciplinas que serão exigidas. Por isso, é importante que o aluno se organize para que seu tempo de estudo abranja todo o conteúdo previsto no edital, analisando item por item.

 

"É preciso que o candidato faça um planejamento diário de estudos para que haja continuidade do aprendizado e da memorização das disciplinas." Baubeta reforça a dica e lembra que o postulante precisa estudar com antecedência, com planejamento e comprometimento.

 

Matérias comuns

 

Para o coordenador geral da Siga Concursos, Carlos Alberto De Lucca, o disputante não deve pensar somente em um certame. "Quando estuda as matérias comuns, o candidato está se preparando para vários processos. Por isso, o ideal é aproveitar as oportunidades e prestar aqueles que julgar interessante."

 

Antes da publicação do edital, é bom estudar as matérias básicas e comuns à maior parte dos processos seletivos como português, matemática, raciocínio lógico e informática. Depois da divulgação das regras, é fundamental direcionar os estudos para as disciplinas que serão o foco do concurso.

 

Tempo

 

Outro conselho importante dado pelos especialistas diz respeito às horas diárias de estudo. Baubeta afirma que não existe regra, mas o recomendável é que o estudante gaste em casa ou em grupo o mesmo número de horas empregadas em na sala de aula. "Por exemplo, se estuda três horas diárias na escola, deve estudar também três horas em casa", orienta.

 

Os candidatos também devem observar quais são as organizadoras dos concursos. "Entre as bancas organizadoras temos a Fundação Carlos Chagas e o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) e cada uma delas têm suas características. Por isso, é importante estar atento às provas anteriores realizadas pela banca", diz Gomes.

 

Emerson dos Reis, de 29 anos, e estuda uma hora e meia por dia, além do período em sala de aula: todos os dias das 9h à 12h. No sábado estuda três horas e no domingo outras seis. Reis ainda trabalha das 14h às 22h.Ele já prestou quatro concursos públicos. Passou no da Polícia Militar, mas era para vagas temporárias. Nos outros três, foi reprovado.

 

Agora, Emerson dedica todo seu tempo vago aos estudos. Ele se prepara para disputar uma vaga de técnico do INSS.

 

CARACTERÍSTICAS DAS PROVAS DE ACORDO COM AS ORGANIZADORAS

 

Escola de Administração Fazendária (Esaf)

 

TIPO DE PROVA: múltipla escolha

 

GRAU DE DIFICULDADE: predominam questões com grau de dificuldade médio e difícil

 

SUGESTÃO DE ESTUDOS: deve-se estudar questões de provas anteriores de português, informática, raciocínio lógico, direito constitucional e matemática. Quando estudar matérias específicas, dê preferência aos assuntos mais importantes

 

DICAS PARA RESOLUÇÃO DA PROVA: é elaborada de maneira que, mesmo os candidatos mais bem preparados dificilmente conseguem resolver todas as questões, porque deverá faltar tempo hábil. Assim, o postulante deve resolver primeiramente as perguntas mais fáceis de todas as matérias. Deve estar consciente de que encontrará tópicos difíceis e trabalhosos que deverão ser resolvidos no fim

 

Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UNB)

 

TIPO DE PROVA: geralmente questões do tipo certo ou errado. GRAU DE DIFICULDADE: normalmente médio

 

SUGESTÃO DE ESTUDOS: É importante resolver questões de certames anteriores realizados pelo Centro. As perguntas costumam abordar alguns tópicos do conteúdo programático. Portanto, inicie os estudos pelos tópicos principais

 

DICAS PARA RESOLUÇÃO DA PROVA: como não é organizada por disciplina, o candidato deve resolver primeiro as questões mais fáceis na ordem que aparecer. Como as erradas prejudicam a pontuação do candidato, a grande dica é evitar os chutes

 

Fundação Carlos Chagas (FCC)

 

TIPO DE PROVA: normalmente questões de múltipla escolha

 

GRAU DE DIFICULDADE: médio e difícil

 

SUGESTÃO DE ESTUDOS: A Fundação Carlos Chagas procura perguntar sobre todo o conteúdo programático. É fundamental estudar todo o programa do processo seletivo e não apenas os tópicos principais. Também é importante resolver as questões das disputas anteriores

 

DICAS PARA RESOLUÇÃO DA PROVA: como as questões vêm organizadas por disciplina, inicie resolvendo as mais fáceis das matérias que tiver mais familiaridade e, a seguir, as questões mais fáceis das demais disciplinas. Só então resolva as mais difíceis e trabalhosas.

 

Fundação para Vestibular da Universidade Federal Paulista (Vunesp)

 

TIPO DE PROVA: geralmente múltipla escolha

 

GRAU DE DIFICULDADE: predomina o médio

 

SUGESTÃO DE ESTUDOS: a Vunesp procura perguntar sobre todo o conteúdo programático. É importante estudar todo o programa proposto

 

DICAS PARA RESOLUÇÃO DA PROVA: as questões costumam ser organizadas por disciplina. Portanto, inicie resolvendo as questões mais fáceis daquelas matérias que tiver mais facilidade. Depois passe para as mais fáceis das demais disciplinas

Mais conteúdo sobre:
Concurso Concurso público Brasil Cursinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.