Celso Junior/AE
Celso Junior/AE

Houve erro interno do Inep, admite Haddad

Para Haddad, o Inep sofreu um desgaste com erros cometidos contra o próprio instituto

Rafael Moraes Moura, Agência Estado

16 Novembro 2010 | 14h21

O ministro da Educação, Fernando Haddad, admitiu que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) tem responsabilidade em parte dos erros verificados na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) - como a troca do cabeçalho no cartão resposta da prova de sábado. Haddad fala hoje pela manhã na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal.

 

Veja também:

blogAcompanhe o depoimento no blog Ponto.Edu

linkHaddad defende mais de uma edição do Enem por ano

linkData de novo Enem sai até a próxima semana, diz Haddad

 

 “Que houve erro, não tenho a menor dúvida, e o Inep vai apurar. Houve um erro interno, e o Inep está apurando”, disse Haddad. “Mas em relação a esses episódios (o vazamento da prova, no ano passado, e a impressão equivocada de parte dos cadernos, em 2010), não houve, embora tenha caído sobre o Inep um desgaste que não devia ser dele.”

Para Haddad, o Inep sofreu um desgaste com erros cometidos contra o próprio instituto, como o vazamento da prova, revelado pelo jornal O Estado de S.Paulo. “O Inep foi vítima de um crime”, afirmou.

Questionado se havia minimizado os problemas verificados nesta edição, o ministro respondeu que em momento nenhum minimizou o “direito que deve ser assegurado a cada estudante inscrito”. “Um único estudante tem direito igual a todos os demais inscritos”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.