Hotelaria ensina desde preparo de cama até administração

Recepcionistas atenciosos, roupa de cama limpa e serviço de quarto eficiente: quem já se hospedou em um hotel sabe como esses fatores são importantes. Para além dos saguões, existe uma rede de profissionais responsáveis por orquestrar o funcionamento de tudo nesses empreendimentos ? desde a contratação e a supervisão dos funcionários até a checagem das instalações e a negociação com os fornecedores.Nos últimos anos, com o mercado exigindo cada vez mais esse tipo de profissional, as faculdades têm investido na criação de cursos específicos de Hotelaria. Em São Paulo, são pelo menos sete instituições que formam administradores hoteleiros, aptos também a gerenciar flats, pousadas, parques temáticos e spas.?Antes, a Hotelaria era vinculada à área de Turismo, mas hoje o setor se desdobrou?, avalia Madalena Pedroso, coordenadora do curso de Hotelaria da Universidade Anhembi Morumbi, criado há cinco anos.Perfil específicoSegundo Madalena, o profissional de hotelaria precisa se encaixar em um perfil específico. ?Além de gostar de servir, dominar vários idiomas e conhecer informática, é preciso ter inteligência emocional. É necessário saber lidar com todo tipo de pessoa.?Com duração média de quatro anos, os cursos em geral combinam disciplinas abrangentes, como administração, economia e direito, com outras mais específicas, como marketing hoteleiro, meios de hospedagem e gestão de qualidade em hotéis.Laboratórios e hotéis-escolaHá também as atividades em laboratório. No caso da Anhembi Morumbi, os alunos dispõem de centros de treinamento, onde simulam situações rotineiras de um hotel.Na faculdade de Hotelaria do Senac, a prática da profissão é vivenciada em hotéis-escola. Além de servir de laboratório, os estabelecimentos funcionam comercialmente, dando um toque de realidade aos estudos. No período de 35 dias em que moram no hotel, os alunos aprendem desde a maneira correta de dobrar um lençol até como controlar os custos da empresa.No exteriorPara quem pretende seguir carreira no exterior, o Senac é conveniado com o Glion Institute of Higher Education, na Suíça. Segundo a coordenadora do curso, Renata de Andrade Alves, a faculdade ainda aponta caminhos alternativos, como a atuação em empresas de consultoria e no setor de alimentos e bebidas.?Também estimulamos o espírito empreendedor dos alunos?, diz. Apesar da estagnação da economia, o setor hoteleiro está em ascensão no Brasil, criando 500 mil empregos diretos e 600 mil indiretos.De acordo com o presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (Abih), Luiz Carlos Nunes, São Paulo concentra o maior número de investimentos, com o fortalecimento do turismo de negócios. Um mercado promissor também se abre no Sul e no Nordeste. ?Mas é preciso lembrar que a mão-de-obra aumentou. Quem quer avançar na carreira precisa se qualificar?, alerta.ApreensãoAluna do Colégio Santo Agostinho, Elisa Lee, de 17 anos, já garantiu sua vaga para o ano que vem no curso da Anhembi Morumbi, mas não esconde certa apreensão com a carreira que escolheu. ?Em momentos de crise, a primeira coisa que as pessoas decidem cortar é o lazer?, diz Elisa.Pronta para pôr em prática as observações feitas desde a infância, quando se hospedava em hotéis do Brasil com a família, Elisa faz planos: ?Quero ser gerente de um grande hotel.? leia também O gosto em atender as pessoas

Agencia Estado,

31 de outubro de 2003 | 12h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.