Homens dominam a pesquisa científica na Europa

A atividade de pesquisa e desenvolvimento (P&D) na Europa é seara dos homens. Pesquisa divulgada pela Comissão Européia nesta terça-feira mostra que somente 15% dos empregos na área de pesquisa no setor produtivo estão com as mulheres, apesar de elas terem agora 40% dos títulos de doutorado. Nas universidades e no setor público a situação melhora, mas não muito: as mulheres nos laboratórios chegam a 30%.O relatório She Figures 2003 - peça de uma campanha da União Européia para reduzir as desvantagens das mulheres na área de P&D - apurou que a Áustria tem o pior quadro atualmente. Menos de 2% dos pesquisadores nas escolas de Engenharia austríacas são mulheres; nas empresas, a participação feminina chega a 9%, a mais baixa taxa no setor privado europeu.Houve um crescimento de 1% a 2% no emprego feminino em P&D na Europa desde o final dos anos 90, mas os homens continuam detendo 73% das vagas acadêmicas e corporativas. O único caso em que o número de mulheres foi superior, segundo o relatório, é o setor público de Portugal, onde 55% dos empregos são ocupados por pesquisadoras."Não podemos perder desperdiçar o potencial intelectual das mulheres", disse o comissário Philippe Busquin, ao divulgar o relatório. "A desvantagem das mulheres nos cargos de decisão na área científica significa que suas opiniões tendem a ser menos consideradas", alerta o documento.

Agencia Estado,

28 de outubro de 2003 | 13h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.