Harvard abre escritório em SP

A Universidade de Harvard se aproxima do Brasil. A instituição abre em julho um escritório em São Paulo com o objetivo de facilitar a vinda de estudantes e professores para universidades daqui e a ida de brasileiros que queiram estudar lá. Além disso, neste ano começa a funcionar uma bolsa de graduação exclusiva para brasileiros nas áreas de Educação, Saúde e Administração Pública em Harvard.A bolsa surgiu por causa de uma doação recente de US$ 1 milhão do empresário brasileiro Jorge Paulo Lemann, que estudou em Harvard. "Já há muita gente da área de negócios que foi estudar fora", diz a diretora-executiva da Fundação Lemann, Ilona Becskeházy. Segundo ela, é parte da estratégia da entidade desenvolver o País com a formação de profissionais nas áreas escolhidas para a bolsa. Ela será oferecida a um brasileiro por ano e o processo seletivo é feito em Harvard. Um outro programa bancado com o dinheiro de Lemann vai incentivar estudantes de Harvard que queiram passar um ano no Brasil pesquisando temas ligados ao País."Queremos ajudar qualquer um em Harvard que queira saber ou ir para o Brasil", disse ao Estado o diretor do Centro David Rockefeller para Estudos Latino-Americanos em Harvard, John Coatsworth. O escritório aqui - cujo investimento é de US$ 500 mil por ano - será um braço do centro e abrigará quatro ou cinco profissionais. O endereço ainda não está definido, mas, segundo Coatsworth, deverá ser perto da Avenida Paulista.Na América Latina, apenas o Chile tem uma base de Harvard. São 43 escritórios pelo mundo - há a previsão de abertura na Argentina -, mas a maior parte deles atende áreas específicas da universidade, como a Escola de Negócios. No Brasil, ele se relacionará com qualquer setor de Harvard.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.