Haddad: 7% do PIB para educação não será atingido

O ministro da Educação, Fernando Haddad, admitiu que será difícil atingir 7%  do PIB destinado à educação até 2014, ano em que termina o mandato da presidente Dilma Rousseff, cujo índice foi promessa de campanha e consta no novo Plano  Nacional de Educação (PNE).

Mariana Mandelli, O Estado de S. Paulo

15 Abril 2011 | 10h49

 

Atualmente, o porcentual é de 5%. “Nós não fixamos data para chegar aos 7%. O governo Lula, nos últimos cinco anos, fez um grande esforço de aumento do  financiamento. Aumentamos 0,2% ao ano”, afirmou o ministro.

 

Haddad estima que, para cumprir o objetivo, seja necessária mais uma década. “Em dez anos, é factível chegar a 7%. Pode ser que cheguemos antes, mas temos de  fazer um esforço maior do que já foi feito”, declarou.

 

O ministro afirmou também desconhecer que algum país em toda a América Latina invista em educação mais do que 6% de seu  PIB.

Mais conteúdo sobre:
Fernando Haddad Haddad MEC PIB Dilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.