Guia da redação do Enem começa a ser distribuído na próxima semana

Material de 52 páginas orienta os candidatos sobre as regras da prova

Estadão.edu, com informações da Assessoria de Imprensa do Inep,

04 Setembro 2012 | 14h09

O guia da redação do Enem 2012 começará a ser distribuído na próxima semana. Lançado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) em 30 de julho, o manual visa a ajudar os candidatos que farão as provas nos dias 3 e 4 de novembro. Ele já está disponível para download no site do Inep (portal.inep.gov.br), mas seguirá para as escolas públicas para que os professores possam utilizá-lo no treinamento dos alunos em sala de aula. Os candidatos que solicitaram atendimento especial, como prova ampliada e braille, também vão receber o guia.

 

O material tem 52 páginas e foi elaborado pela equipe da Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb) do Inep, em conjunto com especialistas em língua portuguesa. Ele esclarece o que é um texto dissertativo-argumentativo, detalha os critérios de correção e apresenta exemplos de provas que conseguiram a pontuação máxima (1 mil pontos). Segundo o Ministério da Educação, serão rodadas inicialmente 1,7 milhão de cópias.

 

Produzido ao custo de R$ 2 milhões, o guia contém uma orientação diferente do edital que define suas regras. A divergência é nos critérios de anulação da redação e pode provocar confusão.

 

No manual, há a informação de que o "desrespeito aos direitos humanos" é motivo para atribuir nota zero ao texto. Mas isso não está entre os motivos para anulação elencados no edital. O respeito aos direitos humanos está apenas entre os critérios de avaliação - sem que isso possa zerar.

 

O Ministério da Educação (MEC) argumenta que não há contradição, mas uma diferença de objetivos. O edital explicitaria as situações em que o estudante terá nota zero, enquanto o guia detalha "que um critério decisivo para a avaliação da redação é o respeito aos direitos humanos".

Mais conteúdo sobre:
Enem Redação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.