Epitacio Pessoa / AE
Epitacio Pessoa / AE

Grupo aprende a filmar curta-metragem

Alunos selecionados desenvolvem roteiro, dirigem e filmam as história criadas em oficinas itinerantes

PAULO SALDAÑA - O ESTADO DE S. PAULO,

07 Maio 2012 | 09h59

No dia 18 de maio, a tenda do Cine Tela Brasil em São Roque vai exibir três curta-metragens inéditos. Todos estão em fase de produção, realizados por grupos em sua primeira experiência com cinema.

A produção faz parte das oficinas itinerantes, que integram o Cine Tela Brasil, em paralelo com o projeto educativo. A partir de uma seleção que envolve escolas da cidade visitada, 25 são escolhidos.

"O resultado nem chega a ser o mais importante, todo o processo é o que vale mais", explica o cineasta e educador Edu Abad, de 42 anos, um dos coordenadores das oficinas.

As idades dos participantes variam: entre 14 e 30 anos - os mais velhos são chamados como ouvintes. "A missão do projeto é fazer eles entenderem a lógica da narrativa audiovisual para contar uma história."

Com a exibição, a oficina dura 12 dias. No sábado, quando a oficina começou em São Roque, o grupo já colocou a mão na massa. Com câmeras e microfones, produziu um pequeno filme.

O trabalho tem várias etapas, que culminam na escolha de três roteiros que serão desenvolvidos pelo grupo. Tudo é coletivo, desde a definição do texto às funções na execução.

"Hoje o tema do nosso vídeo era a cor azul. Duas meninas estavam com a sapatilha azul, então inventamos uma história em que as sapatilhas tinham poderes", conta a estudante Mariana Cajado, de 16 anos, uma das participantes. "Sempre quis aprender como é fazer essas coisas. Quero trabalhar depois com cinema ou jornalismo." / P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.