Grevistas pressionam deputados paulistas

Cerca de 90 pessoas acompanham na Assembléia Legislativa de São Paulo as articulações para a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do Estado. São estudantes, professores e funcionários das três universidades paulistas e da Faculdade de Tecnologia (Fatec) de São Paulo, que pressionam os parlamentares para ampliar os recursos destinados às instituições, entre outras reivindicações.Os estudantes da Fatec, que têm um acampamento diante da Assembléia desde o dia 27 passado, pressionam para que seja incluída uma emenda à LDO elevando para 2,1% do ICMS o repasse ao Centro Paula Souza, que administra as 17 Fatecs em todo o Estado. Hoje, o repasse varia de 0,4% a 0,7%, segundo Henrique Drovandi, aluno do 4 período do curso de Soldagem e diretor do centro acadêmico.Os alunos da Fatec-SP estão em greve desde 3 de março, reivindicando também o cancelamento do projeto que transforma as Fatecs em centros regionais de tecnologia. "Isso vai servir apenas para criar cargos em todo o Estado", acusa Drovandi. "Vai descentralizar a administração e criar uma máquina política a serviço do governador."Segundo o dirigente, a greve dos professores iniciada em fevereiro e encerrada em maio, e a greve dos alunos resultaram numa primeira vitória, que é a eleição para diretor do Centro Paula Souza. "Conseguimos a eleição direta, e os candidatos têm de ser doutores, com experiência administrativa", observou.Entre as pessoas que acompanham na Assembléia as negociações, grande parte é da USP (onde há greve de professores, funcionários e estudantes), Unicamp (professores) e Unesp (docentes e servidores). Eles previam uma grande manifestação para esta tarde.A votação da LDO estava marcada para esta terça-feira, mas até por volta das 14h00 não havia sido confirmada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.