Grevistas dizem nesta 4.ª se aceitam proposta

Professores e funcionários da USP, Unicamp e Unesp estão decidindo em assembléias se aceitam ou não a contraproposta feita pelo Conselho de Reitores das Universidades Paulistas (Cruesp), que ofereceram reajuste salarial de 2% retroativo a maio e um complemento que faria os salários recuperarem, a partir de agosto, os 4,18% da inflação medida pela Fipe em 2003. A proposta foi bem-recebida pelos líderes do movimento, mas foi rejeitada em duas das quatro assembléias feitas até a tarde desta terça-feira nos campi da Unesp.A resposta do Fórum das Seis ? que reúne as entidades representativas de docentes e servidores das três universidades ? será dada nesta quarta-feira, em reunião com o Cruesp na Unicamp, a partir das 17h00. As duas categorias estão em greve há dois meses reivindicavam reajuste de 16%, entre outras coisas. Os reitores insistiram no reajuste zero agora, condicionando qualquer elevação ao aumento da arrecadação do governo estadual.?Esta contraproposta do Cruesp é muito diferente da anterior, e chega com uma perspectiva boa às assembléias?, comentou Milton do Prado Jr., presidente da Associação dos Docentes da Unesp (Adunesp) e coordenador do Fórum das Seis. Segundo o coordenador, os reitores também ofereceram a possibilidade de um adicional de 1,7% em janeiro, vinculado a um eventual aumento da arrecadação, perfazendo 5,7% a 6% de reajuste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.