Greve na Fatec ameaça vestibular de junho

A greve das Faculdades de Tecnologia de São Paulo (Fatec), que começou em fevereiro, poderá prejudicar o vestibular a ser realizado na metade do ano. A cada vestibular são selecionados cerca de 2,6 mil alunos.De acordo com o professor Marcelo Capuano, que é membro da Comissão de Negociação das Fatec, a Secretaria de Ciência e Tecnologia, à qual a rede de faculdades está subordinada, teria informado que os dias parados seriam descontados da folha de pagamento dos grevistas, tirando assim a possibilidade de repor as aulas.Desta forma, os alunos que ingressaram nas faculdades por meio do vestibular de fevereiro perderiam o ano e, portanto, tomariam as vagas dos candidatos que vão fazer prova no mês de junho.AdesãoA adesão à greve cresceu nas últimas semanas com a paralisação das Fatecs de Indaiatuba e Sorocaba, municípios do interior paulista que estão entre as maiores do grupo. A Fatec conta com 16 unidades no Estado.No total, 94% do corpo docente está em greve, segundo o sindicato dos professores e fundionários, o que deixa 11 mil alunos dos cursos superiores sem aula. Somando-se à paralisação dos professores dos cursos técnicos, a associação contabiliza 51 mil estudantes parados.ReivindicaçõesDentre as reivindicações do grupo, está o pedido de reajuste de 72,2% nos salários de professores e funcionários e aumento do repasse do ICMS para as Fatec, que atualmente é de menos de 1%, para 2,1%. Hoje os professores recebem entre R$ 6 e R$ 13 por hora/aula. Os dois últimos reajustes foram concedidos em 1998 e 2002 - respectivamente de 10% e 5%.Os professores também reclamam da falta de investimentos nos últimos 12 anos na atualização dos laboratórios, equipamentos e manutenção da infra-estrutura, o que comprometeria a qualidade da educação.NegociaçõesNa última assembléia dos professores, realizada na terça-feira, ficou decidido que a greve será mantida por tempo indeterminado. Capuano explicou que as negociações com o poder público não evoluíram."Vamos enviar um documento para o governador Geraldo Alckmin na segunda-feira para que sejamos recebidos por ele", diz. Até agora, os interlocutores do governo são da Secretaria de Ciência e Tecnologia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.