José Luiz Guerra/Unifesp/Divulgação
José Luiz Guerra/Unifesp/Divulgação

Unifesp e UFMG adiam rematrícula de alunos por causa de greve

Paralisação de servidores técnico-administrativos, iniciada em maio, já havia prejudicado cadastro de calouros, aprovados no Sisu

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

14 Julho 2015 | 11h45

SÃO PAULO - A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) decidiram adiar a rematrícula de alunos por causa da greve dos servidores técnico-administrativos. A paralisação, iniciada em maio, já havia prejudicado o cadastro de calouros, aprovados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

A Unifesp informou que a "rematrícula para o segundo semestre de 2015 dos cursos de graduação de regime semestral", prevista para começar nesta quarta-feira, 15, "está temporariamente suspensa". Disse também que a reitoria está negociando com os servidores. 

Em comunicado aos alunos, a UFMG também informou que a matrícula dos veteranos, prevista para o período entre a última sexta-feira, 10, e esta terça-feira, 14, foi adiada por tempo indeterminado. Embora o cadastro seja feito eletronicamente, o lançamento de disciplinas é feito pelos funcionários. Ainda não há nova data.

Segundo a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra), que representa os servidores técnico-administrativos, não houve orientação geral para boicotar essas matrículas.

A entidade não soube informar quantas instituições tiveram o processo de cadastro de alunos nas disciplinas prejudicado pela greve. A categoria reivindica 27,3% no piso salarial. 

Mais conteúdo sobre:
UFMG Unifesp Greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.