Grã-Bretanha dispensa escolas de aplicar provas

Os alunos britânicos com idades entre 7 e 11 anos ficarão livres das provas escolares a partir do próximo ano letivo. Segundo o ministro da Educação da Grã-Bretanha, Charles Clark, a decisão foi tomada porque "os testes causam muito estresse" nos alunos mais novos."Nosso objetivo é o de criar escolas primárias mais criativas, nas quais a importância dos exames formais seja cada vez menor", declarou o ministro. Segundo ele, a medida partiu da percepção de uma crescente preocupação por parte de pais e professores com "a saúde mental das crianças".Clark explicou que a partir do próximo ano escolar, que começa em setembro na Grã-Bretanha, as provas serão exigidas apenas para as matérias de Inglês e Matemática. O restante das disciplinas será avaliado "de forma alternativa pelos professores".De acordo com o governo, as novas medidas serão adotadas por um período de dois anos. Depois disso, as escolas terão autonomia para manter ou não o novo sistema de avaliação.O secretário-geral da União Nacional dos Professores, John Bangs, declarou, por sua vez, que as mudanças "não foram abrangentes o suficiente". Segundo ele, o governo "reconheceu a lógica do argumento contrário aos exames escolares, mas falta-lhe a coragem para abandoná-los completamente".

Agencia Estado,

21 de maio de 2003 | 16h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.