Governo quer universitários ajudando nos assentamentos

O governo federal vai lançar em agosto um programa nacional para enfrentar a baixa qualidade produtiva e acarência de assistência técnica nos assentamentos da reforma agrária. Copiado dos cursos de medicina, o programa vaiintroduzir na agricultura familiar brasileira o sistema de residência agrária, pelo qual profissionais recém-formados em agronomia, veterinária e outras ciências agrárias passarão seis meses trabalhando em assentamentos antes de ingressarem na vidaprofissional efetiva.Chamada Programa Nacional de Educação no Campo, o sistema funcionará de forma experimental nesta primeira fase,mediante parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Agrário firmará com quinze universidades públicas brasileiras. O objetivo, segundo informou o ministro Miguel Rosseto, é qualificar estudantes universitários para que possam atuar nos assentamentos e junto aos agricultores familiares em geral, em projetos de assistência técnica e extensão rural. O programa terá este ano a participação de 300 alunos e contará com o apoio da Fundação Banco do Brasil. As universidadesdevem entregar suas propostas de participação até 15 de agosto ao Incra. Os convênios devem ter validade por um período de 30meses, abrangendo um total de 1.200 estudantes nos próximos dois anos. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.