Governo prepara agenda de ensino a distância

O governo quer uma maior integração das iniciativas de educação a distância via internet. Hoje e amanhã, em Brasília, o MEC realiza evento com a participação de cerca de 60 representantes de universidades públicas e órgãos ligados ao ministério, para definir, em um documento, conceitos e práticas comuns e Jonathan Darby, que coordena o programa e-University, do Reino Unido. Segundo o secretário de Educação a Distância do MEC, João Carlos Teatini, o objetivo é utilizar melhor os recursos e fazer com que os melhores resultados da experiência de cada universidade sejam compartilhados com outras instituições. Teatini participou de um evento em fevereiro, na Escócia, onde conheceu a experiência do Reino Unido. ?O cronograma dos trabalhos será definido em um documento, como resultado do encontro?, explicou Teatini. O esforço para integração de plataformas deve incluir, além do software, equipamentos e serviços de telecomunicações. Somente entre os integrantes da Universidade Virtual Pública do Brasil (UniRede), que reúne 70 instituições, já existem 20 projetos estruturados. O próprio ministério também possui uma plataforma de educação a distância, chamada e-Proinfo. A secretaria quer fomentar a aplicação da tecnologia no ensino superior. De acordo com o secretário, a iniciativa vai incluir também, em um segundo momento, universidades privadas. ?Não estamos discriminando as universidades privadas?, afirmou Teatini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.