Milton Michida/A2 Fotografia
Milton Michida/A2 Fotografia

Governo paulista embarca em campanha mundial contra bullying

Ação distribuirá 250 mil cartilhas e é realizada em parceria com Facebook e Cartoon Network

Cristiane Nascimento, especial para Estadão.edu,

13 Junho 2012 | 17h04

Na manhã desta quarta-feira, 13, o Facebook e o Cartoon Network lançaram, com o apoio do governo de São Paulo e do Fundo Social de Solidariedade, a campanha Chega de Bullying: Não fique calado, que visa a dar voz a crianças e jovens que sofrem este tipo de agressão. O lançamento da ação, que já existe nos EUA desde 2010 e na América Latina desde 2011, ocorreu na Escola Estadual Visconde de Itaúna, no Ipiranga, zona sul da capital, e contou com a presença do governador Geraldo Alckmin e do secretário da Educação Herman Voorwald.

 

"Tínhamos o conhecimento de que o governo já possuía algumas iniciativas contra o bullying", disse Alexandre Hohagen, vice-presidente do Facebook para a América Latina. "Como queríamos também promover algo nesse sentido, decidimos juntar forças." Hohagen acredita que a plataforma irá ajudar aqueles que têm medo ou vergonha de expor os maus tratos que sofrem.

 

Na fan page www.facebook.com/chegadebullying, os usuários podem assinar um termo, no qual se comprometem a denunciar os casos de agressão, sejam eles vítimas ou espectadores da violência. Pelo atalho 'Tome uma atitude', os internautas também têm acesso a uma série de links de instituições parceiras, onde podem, de fato, fazer as tais denúncias. Segundo a assessoria do Facebook, até o fim do ano a página deve receber uma ferramenta através da qual alunos, professores e pais poderão criar grupos de discussão específicos de uma escola, por exemplo.

 

Ao final da apresentação da ferramenta, os jovens da escola Visconde de Itaúna foram convidados a 'curtir' a nova página. "Essa iniciativa é extremamente importante, pois muitos alunos sofrem com esse tipo de agressão e têm medo de se abrir com os mais velhos", comentou Walleska Aggi Guerreiro, de 17 anos, aluna no 3.º ano do ensino médio.

 

Marcelo Tas, Claudia Leite, o jogador Ganso e Selena Gomez estão entre os primeiros famosos a assumirem oficialmente o compromisso de lutar contra o bullying e estimular outras pessoas a assumirem essa liderança.

 

Durante o evento, Alckmin divulgou ainda a distribuição de 250 mil cartilhas sobre o tema, voltada aos professores e criada em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ainda como método de prevenção, a Secretaria da Educação do Estado promove a formação de professores-mediadores para desenvolver projetos pedagógicos e ampliar os fatores de proteção.

 

"Em uma escola com 2 mil alunos, não há só problemas pedagógicos, mas também questões familiares, de violência, casos de alunos mais velho que ameaçam os mais jovens ou dos mais fortes que humilham os menores", disse o governador. "O professor-mediador intervém nesses casos e evita abusos." Segundo o governador, atualmente a rede estadual possui 2,3 mil mediadores e até o fim de sua gestão todas as escolas terão ao um representante.

Mais conteúdo sobre:
Facebook campanha bullying

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.