Governo chinês afasta internet das escolas

O governo chinês decidiu, nesta quinta-feira, proibir a abertura de bares e outros estabelecimentos com conexão de internet nas proximidades das escolas. A alegação é de que ?informações culturais danosas? estão prejudicando as crianças. As autoridades citam principalmente a pornografia como influência maléfica.Só serão permitidos cibercafés e serviços congêneres se instalados a pelo menos 200 metros de distância das escolas, informou a agência oficial de notícias da China. Não foi esclarecido o que ocorrerá com os estabelecimentos que já funcionam dentro deste perímetro de exclusão.A nova regra também limita o tempo de uso da internet em bares por menores de 18 anos, assim como o tempo de permanência nestes estabelecimentos.O comunicado do governo chinês afirma que o uso da internet é encorajado no país para aplicações nos negócios e na educação, mas pondera que ?alguns serviços online? estão ?burlando as regras? e usando a internet para difundir ?informações culturais danosas?. O tempo que as crianças e jovens estão gastando com os jogos on line é outro foco de preocupação. Segundo relatório do governo, no ano passado chegaram a 13,8 milhões os usuários de jogos. A China tem, diz o documento, 79,5 milhões de usuários gerais de internet, o que seria a segunda maior população conectada no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Agencia Estado,

04 de março de 2004 | 12h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.