Governo anuncia R$ 91 milhões para fundo estudantil

O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) deverá contar, este ano, com R$ 91 milhões a mais em recursos. O projeto de lei que concede o crédito suplementar foi assinado nesta quinta-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em solenidade no Palácio do Planalto. Com a aprovação da proposta pelo Congresso, a expectativa é de que mais 100 mil alunos possam ser beneficiados pelo Fies, a partir de agosto. Lula anunciou, nesta quinta, nove medidas destinadas ao desenvolvimento da educação no País. Entre as ações, está o envio ao Congresso do projeto de lei do Programa de Equalização das Oportunidades de Acesso à Educação Básica (Prodeb), conhecido como Fundebinho. Pela proposta, deverão ser repassados R$ 400 milhões aos Estados, ainda em 2006. Segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, disse à Agência Brasil, o programa emergencial destina recursos à educação, enquanto a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que cria o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização do Profissional de Educação (Fundeb) não é aprovada no Congresso. Para aumentar a oferta de cursos de graduação à distância para professores da educação básica, o presidente assinou um decreto instituindo a Universidade Aberta do Brasil. De acordo com Haddad, 215 cursos de graduação devem ser oferecidos por universidades federais. Em contrapartida, municípios e Estados deverão manter pólos de apoio presencial, com laboratórios de informática, salas de aula e biblioteca. A expectativa é de que, em 2007, esses pólos estejam instalados em 300 municípios, de acordo com a Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.