Gestão ocupa mais diretor do que alunos no RJ, aponta estudo

Diretores gastam mais tempo resolvendo questões administrativas do que acompanhando evolução dos alunos

Agência Estado,

22 de março de 2010 | 09h13

Os diretores das 1.064 escolas municipais do Rio gastam mais tempo resolvendo questões administrativas do que acompanhando a evolução dos 650 mil alunos da rede. Segundo pesquisa feita com 976 diretores, 44,51% se dedicam mais a normas administrativas do que ao aprendizado dos alunos (35,63%). Fazem isso, em parte, porque faltam funcionários nas escolas.

Tarefas como controlar a merenda, carimbar cadernetas e preencher relatórios tomam mais tempo do que discutir com os professores as dificuldades das crianças. O levantamento foi feito no fim de outubro, quando o município aplicou a Prova Rio aos alunos do 3.º e 7.º ano para testar o nível de aprendizado.

"O nosso sonho é que os diretores prestem mais atenção ao aspecto pedagógico", diz Cláudia Costin, secretária municipal de Educação. "Mais importante do que ter ou não a quadra coberta é saber se as crianças estão aprendendo." A pesquisa revela que os diretores são experientes, mas leem pouco (63% só leem de dois a quatro livros de educação por ano) e estão sobrecarregados com a falta de pessoal administrativo (queixa de 67,61%).

Não existe uma solução a curto prazo para facilitar a vida dos diretores. A secretária reconhece a falta de funcionários, mas admite que não tem condições de atender à demanda rapidamente. "Nós atingimos o limite da responsabilidade fiscal. Para ajudá-los, estamos tornando as tarefas mais fáceis, informatizando as escolas." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.