Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Geekie+Estadão dita revisão final

Para gaúcha, boletim do simulado online apontou deficiências em Brasil República e logaritmos

Cristiane Nascimento, Especial do Estadão.edu,

29 Outubro 2012 | 21h56

O que fazer nos quatro dias que antecedem o Enem? Estudar? Descansar? Para candidatos que participaram do simulado Geekie+Estadão, ainda é hora de revisar conteúdos.

A gaúcha Sofia Ihjaz, de 17 anos, está usando como guia da revisão o boletim do simulado, que apontou tópicos específicos nos quais teve desempenho mais fraco. Entre eles estão Brasil República, em história, e logaritmos, em matemática. “O simulado confirmou dificuldades que tive este ano. Saber que elas são pontuais me deixou mais confiante.”

O mesmo tem feito o alagoano Leonardo Araújo, de 17. Conteúdos como cinemática, de física, e química orgânica estão entre os poucos apontados no boletim como problemáticos. “Estou focando nisso e resolvendo uma série de exercícios.” Apesar de não ter se saído tão bem quanto esperava no simulado, ele achou a experiência válida. “O exame da Geekie estava, aparentemente, com nível superior ao do Enem, o que é ótimo, pois já nos prepara para as mais diversas situações.”

O sergipano Raphael Almeida, de 17, fez uma preparação “científica”. Montou no fim do ano passado um planejamento de estudos com base no edital do Enem de 2011. Dividiu o conteúdo para revisão, com novos temas a cada semana.

Raphael foi o 3.º colocado entre os mais de 43 mil alunos que fizeram todas as provas da Geekie. “Minha maior preocupação é a redação”, diz, referindo-se à única área não avaliada no simulado, que puxou para baixo sua pontuação como treineiro em 2011. Nos últimos meses, ele tem feito uma redação por dia e entregado a seus professores. “Divido entre três para que possam dar conta do recado.”

Mais conteúdo sobre:
simulado geekie enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.