Fuvest tem provas fáceis de biologia e geografia

As provas de biologia e geografia, realizadas hoje, no terceiro dia da segunda fase da Fuvest, apresentaram temas simples. A de biologia foi classificada como "relativamente fácil" por professores e falava de fotossíntese, camada de ozônio e cadeia alimentar. Geografia tocou em temas atuais e conhecidos dos alunos de ensino médio, mas cobrava profundidade nas respostas. "Era preciso saber redigir bem e ter argumentos", disse a professora de geografia do Curso e Colégio Objetivo, Vera Lúcia da Costa Antunes. Os alunos tiveram de explicar as causas e efeitos do furacão Katrina, que atingiu os EUA no ano passado, e do tsunami na Indonésia. Era preciso também avaliar as ações governamentais e a assistência prestada à população nas duas catástrofes. Outra questão pedia que escrevessem sobre as causas e conseqüências socioeconômicas da febre aftosa, que atingiu o País recentemente.Em biologia, os candidatos precisaram explicar por que o vírus HIV causa a imunodeficiência em humanos e qual a relação entre a diminuição da camada de ozônio e a incidência de câncer de pele. "Quem tirar menos de 9 nessa prova está praticamente fora", disse o coordenador de biologia do Objetivo, Luiz Carlos Bellinello.Mais de 10.600 alunos foram convocados para o exame de geografia e 687 faltaram. O índice de abstenção foi de 6,45%, maior que o do ano passado. Em biologia, faltaram 538 dos 8.371 chamados. Amanhã o vestibular da Fuvest continua, com os exames de física. A segunda fase acaba quinta-feira, com provas de matemática.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.