Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Fuvest pergunta sobre Código Florestal e crise na Europa

No último dia da segunda fase do vestibular, aluno fez 12 questões de matérias relacionadas a seu curso

Estadão.edu,

10 Janeiro 2012 | 15h07

* Corrigida às 18h56

SÃO PAULO - Os primeiros estudantes a deixar os locais de prova da Fuvest dizem que a banca perguntou nesta terça-feira sobre a reforma do Código Florestal e a crise econômica na Europa nas questões de geografia. O exame começou às 13h e terminou às 17h.

A pergunta sobre crise na Europa, na verdade, menciona o atual "entricheiramento" do continente e é baseada em um texto de 1998.

Hoje o candidato teve de responder a 12 questões de duas ou três disciplinas relacionadas ao curso em que ele se inscreveu. Quem presta para Medicina, por exemplo, resolveu perguntas de física, química e biologia. Os interessados em uma vaga no curso de Engenharia Civil da USP São Carlos enfrentaram itens de matemática e física.

A Fuvest registrou hoje o maior índice de abstenção dos três dia da segunda fase. De acordo com a coordenação do exame, dos 31.504 candidatos esperados, 2.845 não compareceram aos locais de prova – 28.659 responderam às questões.

Na questão sobre a reforma do Código Florestal, era necessário identificar "o conflito, de natureza social, que justifica a necessidade da norma legal". E ainda discorrer sobre o assunto a partir de uma pesquisa que apontava a preferência da população por preservar as florestas em vez de expandir as fronteiras agropecuárias.

Ainda em geografia, caiu uma questão sobre integração regional, inclusive o Mercosul. O aluno tinha que identificar, entre vários mapas da América do Sul, quais tinham impacto direto sobre o mercado externo brasileiro. Outra pergunta falava de questões urbanas, relacionando favelas a condomínios de luxo fechados como espaços de segregação socioespecial. Também caiu uma questão sobre a transição demográfica do Brasil, um País com proporção crescente de idosos.

Em história, uma das perguntas era sobre colonialismo e neocolonialismo na África. Em outra, sobre Antiguidade Clássica, o candidato deveria citar um poema épico inspirado na Guerra de Tróia. Numa terceira pergunta, a Fuvest quis avaliar os conhecimentos dos candidatos sobre a formação do Rio Grande do Sul. Também caíram Idade Média (a influência dos normandos na economia da Europa medieval) e as revoltas de trabalhadores franceses para diminuir as horas de trabalho.

Química orgânica, a principal aposta de professores, foi abordada hoje. Em biologia, houve uma pergunta sobre hormônios e, em física, questões de Óptica, Trabalho e Energia. Matemática cobrou polinômios.

Esta é a última prova da etapa discursiva do vestibular. Estão em jogo 10.852 vagas em cursos da USP e 100 na Medicina da Santa Casa. Disputam as cadeiras 29.203 candidatos. Outros 2.300 estudantes, que ainda não concluíram o ensino médio, participam do processo como treineiros.

A segunda fase da Fuvest começou no domingo, com a prova de português e redação. Ontem, os candidatos fizeram 16 questões sobre todas as matérias do ensino médio, exceto português. Algumas delas eram interdisciplinares.

A primeira chamada de aprovados será divulgada em 4 de fevereiro. As matrículas deverão ser feitas nos dias 8 e 9 de fevereiro.

* Atualizada às 15h45 para acrescentar informações

** Atualizada às 15h55 para acrescentar informações e inserir a foto

*** Atualizada às 16h50 para acrescentar informações e inserir a galeria de fotos

Mais conteúdo sobre:
Fuvest Vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.