Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Fuvest pergunta sobre 11 de Setembro e radiação em Tóquio

Mais de 146 mil candidatos disputam quase 11 mil vagas no vestibular da Fuvest

Por Cedê Silva, especial para o Estadão.edu,

27 Novembro 2011 | 16h39

SÃO PAULO - Na prova da primeira fase da Fuvest não caiu nenhuma questão sobre Oriente Médio nem sobre Jânio Quadros, cuja renúncia completou 50 anos em 2011. Mas caiu uma questão sobre a radiação em Tóquio por conta do acidente em Fukushima, um teste sobre o IDH na prova de geografia e, na prova de inglês, outro que mencionava os eventos mais importantes da década para os Estados Unidos, incluindo os atentados de 11 de Setembro.

O estudante Flário Meirelles, de 17 anos, foi o primeiro a sair da prova no câmpus da Estácio UniRadial de Santo Amaro, na zona sul de São Paulo. Ele estuda no Instituto de Educação São Francisco de Assis e presta vestibular para Engenharia Mecânica. "A prova estava mediana, mais fácil do que eu esperava." Mesmo prestando como treineiria, Laura Souza, de 16 anos, disse estar tão nervosa que não se lembra claramente dos temas das perguntas. Ela está no 2.º ano da escola Oswaldo Aranha e presta como treineira de Humanas. "Caiu muita matéria do 3.º ano, e só alguma coisa que eu tinha aprendido."

Guilherme Lucione, do 3.º ano do colégio Spinosa, tenta a vaga em Ciência da Computação. Para ele, a prova não estava tão complicada. "Matemática eu achei densa", comentou o estudante.

Mais conteúdo sobre:
Fuvest vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.