Fuvest encolhe e tem menor número de candidatos em 10 anos

Serão 138.242 candidatos que farão a primeira fase do exame, que seleciona para a USP, no dia 23

Renata Cafardo, de O Estado de S. Paulo,

07 de novembro de 2008 | 21h35

O maior vestibular do País está encolhendo. A Fuvest teve neste ano o menor número de inscritos dos últimos dez anos. Serão 138.242 candidatos que farão a primeira fase do exame, que seleciona para a Universidade de São Paulo (USP), no dia 23. Em 2006, por exemplo, a prova registrou um recorde de 170 mil estudantes. No ano passado, foram 140,9 mil. Mas só em 1997 houve menos candidatos do que agora. Veja também: Planejamento é o segredo para ler obras obrigatórias Lista de relação candidatos-vaga da Fuvest Agenda dos vestibulares   Unicamp divulga locais de prova do vestibular 2009  Segundo especialistas, a menor procura registrada pela Fuvest é um reflexo da situação atual da educação no País. Nos últimos dez anos, o número de vagas no ensino superior - público e privado - cresceu mais de 200%. Enquanto isso, a quantidade de alunos que ingressam e, principalmente, que terminam o ensino médio continuou igual ou diminuiu.  Em São Paulo, Estado de onde vem a maioria dos vestibulandos da Fuvest, o número de vagas no ensino superior em 1998 era de 303 mil. O censo mais recente do Ministério da Educação (MEC), de 2006, indica que existiam 920 mil vagas naquele ano, um aumento de 203% (mais informações nesta página).  Fora a expansão já conhecida do setor privado - que hoje sofre com a diminuição da demanda, alta concorrência e tem registrado fechamento e fusões de faculdades -, houve aumento de vagas públicas. A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) abriu câmpus na Grande São Paulo, própria USP expandiu-se para a zona leste e foi criada a Universidade Federal do ABC (UFABC).  "O problema é que o ensino médio não está aumentando junto", diz o coordenador do vestibular da Fuvest, Roberto Costa. Essa etapa de ensino é atualmente a maior preocupação de educadores no Brasil e na América Latina. Apesar de quase a totalidade das crianças de 6 a 14 anos estarem cursando o ensino fundamental no País, só cerca de 50% dos adolescentes de 15 a 17 anos estão no ensino médio.  Em São Paulo, o número dos que concluem o antigo colegial é menor hoje do que era em 1998: são cerca de 480 mil. Segundo especialistas, é preciso desenvolver currículos mais atraentes para manter essa faixa etária na escola. "O lado bom é que o número de vagas está aumentando. Quem sabe, no futuro, podemos acabar com o vestibular?", diz o presidente da Câmara da Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (CNE), Cesar Callegari.  Segundo ele, o Programa Universidade para Todos (ProUni), do governo federal, que dá bolsas para alunos carentes em faculdades privadas, também faz com que estudantes desistam do vestibular da Fuvest. No ano passado, segundo publicou Estado, já havia caído o número de estudantes de escolas públicas inscritos. Apesar do lançamento do programa de inclusão da USP (Inclusp), que dá bônus para esse grupo, a procura foi a menor desde 2002. "Muita gente acha que o vestibular é difícil, prefere prestar a faculdade perto de casa, com custos menores de alimentação e transporte", completa Costa.  A Fuvest terá neste ano 10.557 vagas em cursos na USP, na Santa Casa de Misericórdia e na Academia de Polícia Militar do Barro Branco. Em 1998, quando o número de candidatos foi de 138,4 mil, havia 10.318 vagas, mas o vestibular selecionava também para Unifesp e Federal de São Carlos (UFSCar).  Candidato-vaga A carreira mais concorrida, na relação candidato-vaga, é a de oficial da Polícia Militar, masculino, onde o índice aumentou de 26,93, no vestibular 2008, para 74,37 em 2009. O número de vagas oferecidas caiu, de 150 para 35. A segunda carreira mais popular é oficial da PM, feminino.  Entre os cursos da USP, o mais procurado, proporcionalmente, é o de publicidade e propaganda, com 40,66 candidatos para cada vaga.  As carreiras que atraem grande número absoluto de candidatos são medicina (13.379 candidatos no vestibular 2009, ante 12.973 no 2008) direito (10.519 candidatos, uma queda em relação ao concurso 2008, quando havia 11.309) e engenharia na Escola Politécnica (12.343, alta em relação ao concurso anterior, quando houve 10.917). A prova da primeira fase será realizada no dia 23 de novembro. No dia 15 de dezembro, a Fuvest divulgará a lista de convocados para a segunda fase. Os exames da segunda fase acontecem entre 4 e 8 de janeiro de 2009. A lista de aprovados será anunciada no dia 4 de fevereiro.

Tudo o que sabemos sobre:
educação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.