Fundação Orsa engrossa investimentos na primeira infância

A educação básica vai ser foco dos investimentos em educação da Fundação Orsa este ano. A entidade planeja para o próximo mês o início da distribuição de material e consultoria para o desenvolvimento de centros educativos para a primeira infância. A projeção é que o projeto alcance 200 municípios em 2003. De acordo com o presidente do Grupo Orsa, Sergio Amoroso, ?três ou quatro municípios? já fecharam a parceria. Nesta quinta-feira, Amoroso também contou em entrevista coletiva que a fundação, com governo, universidades e outras entidades, planeja criar uma universidade do meio ambiente, com campus central em Jari, na região Norte do País.A fundação ligada ao grupo Orsa investiu, no ano passado, R$ 10,3 milhões em atendimento a crianças e jovens. Este ano, tem orçamento de R$ 12,5 milhões. O projeto Município Feliz, que vai oferecer ferramentas para transformar a educação pública para a primeira infância, deve consumir R$ 130 por criança. ?O projeto arca com todas as despesas, exceto o edifício?, acrescenta Amoroso.O material deve ser enviado às Prefeituras em forma de kit impresso e a instituição colocará no ar um site com informações a respeito. De acordo com o informação de José Montagnana, presidente da fundação, uma versão próximo do projeto, nos Estados Unidos, consome US$ 200, por criança. O modelo vai seguir um piloto implantando no município de Caraguatatuba, que valeu à Prefeitura da cidade um prêmio do MEC. O projeto da universidade está mais distante. ?É algo para daqui a oito, dez anos?, observou Amoroso. A fundação conta com a participação do Ibama e do Ministério do Meio Ambiente, além de empresas que se utilizem ou se interessem pelas questões ambientais e das universidades que tenham trabalhos ligados aos ?problemas da floresta? ?Estamos em contato com universidades que têm trabalho voltado ao meio ambiente, como os estudos sobre fitoterápicos que a Unifesp realiza no Xingu?, exemplifica. Outra idéia da entidade é criar uma empresa de comercialização dos fitoterápicos da flora brasileira.A Fundação Orsa é responsável por projetos como o método Mãe Canguru, hoje implantado em quase 300 maternidades brasileiras, Promoção à Nutrição, Oncologia Pediátrica, Escola da Natureza, entre outros de cuidados com crianças e jovens. No ano passado, calcula ter sido responsável por mais de 1 milhão de atendimentos (cada ação conta um atendimento, o que significa que a mesma pessoa pode aparecer várias vezes nesta contabilidade).

Agencia Estado,

24 de abril de 2003 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.