Fundação concede bolsas para estudantes cursarem pós no exterior

Os 11 profissionais vão estudar em prestigiadas instituições dos EUA e da Inglaterra

Carlos Lordelo, Estadão.edu

07 Julho 2010 | 18h08

Foram quatro meses de provas, dinâmicas e entrevistas. Depois dessa rigorosa seleção, que envolveu mais de mil inscritos, a Fundação Estudar escolheu 11 jovens profissionais que vão receber bolsas de estudos para cursar pós-graduação no exterior. Eles são de cinco Estados diferentes.

 

Além de apoio financeiro para estudar em centros de excelência dos Estados Unidos e da Inglaterra, os novos talentos terão orientação no desenvolvimento de suas carreiras. As bolsas cobrem de 3% a 30% de todas as despesas - matrícula, mensalidades, passagens áreas, moradias e demais custos.

 

Do grupo de selecionados, 6 farão MBA. Dois cursarão mestrado em Direito; um fará Ph.D. em Neurociência e outro, mestrado em Relações Internacionais.

 

As universidades americanas para as quais os estudantes foram aprovados são as de Columbia, Harvard, Stanford, Chicago, Pensilvânia e Wharton. Um dos bolsistas vai estudar na London Business School, na Inglaterra. A escola tem um dos melhores programas de MBA do mundo, segundo o ranking da revista Financial Times.

 

Trata-se do baiano Januncio Pessoa de Lima Neto, de 31 anos. Formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), na Paraíba, Lima Neto já fez uma pós-graduação em Gerenciamento de Projetos e vive há quatro anos em Manaus (AM), onde fundou uma consultoria especializada em eficiência energética.

 

"Era um sonho antigo fazer esse MBA na London Business School para complementar minha formação na área de negócios", diz o empresário, que pretende retornar para a capital amazonense após os dois anos do curso. Ele viaja para a Inglaterra no começo de agosto. "Não tinha como cobrir todas as despesas. Com a bolsa, vou conseguir pagar a pós e me manter em Londres."

 

O mineiro de Divinópolis Marcelo Gomes Mattar, de 24 anos, vai para os EUA no dia 22 de agosto. Ele ganhou uma bolsa da Fundação Estudar para fazer o Ph.D. na Universidade da Pensilvânia. O estudante já tinha conseguido uma outra bolsa, da própria instituição de ensino, onde deve passar cinco anos. "Os recursos da Fundação servirão para eu conseguir me manter lá fora, comprar livros e participar de conferências", conta Mattar, graduado em Engenharia Eletrônica e mestrando em Neurociências pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

 

"O processo seletivo para conseguir a bolsa da Estudar é longo e árduo para as pessoas que não compartilham dos valores da Fundação", diz Mattar, que já teve colegas do ITA beneficiados com bolsas da organização. "A peneira é muito forte, mas o esforço é válido. O apoio deles é muito bom."

 

O próximo processo seletivo para bolsas da Fundação Estudar será aberto no dia 3 de janeiro de 2011. Em 19 anos de atuação, a organização já investiu US$ 7 milhões no desenvolvimento de cerca de 453 carreiras. Mais informações neste site.

 

Veja a relação dos 11 profissionais selecionados

 

- André Gustavo Gontijo Penha (MG) -  MBA (Stanford)

- Caetano Penna Altafin Rodrigues (RJ) - Mestrado em Direito (Harvard)

- Cauam Ferreira Cardoso (RJ) - Mestrado em Relações Internacionais (Columbia)

- Claudia Vergueiro Massei (SP) - MBA (Wharton)

- Flavia Deutsch (SP) -  MBA (Stanford)

- Frances Yumi Fukuda (SP) - MBA (Wharton)

- Gabriela Crestani Claro (SP) – Mestrado em Direito (Columbia)

- Januncio Pessoa de Lima Neto (BA) - MBA (London Business School)

- Marcelo Gomes Mattar (MG) - PhD (Pensilvânia)

- Márcio Nieblas Zapater (SP) - MBA (Chicago)

- Vitor da Silva Alves (AP) - MBA (Chicago)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.