Funcionários em greve impedem entrada em reitoria da USP

Categoria reivindica aumento salarial de 16% e isonomia salarial entre professores e demais funcionários

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

25 de maio de 2010 | 08h49

SÃO PAULO - Cerca de 80 pessoas estão reunidas desde as 5h30 desta terça-feira, 25, em frente à reitoria da Universidade de São Paulo (USP), no Butantã, zona oeste de São Paulo, impedindo a entrada dos funcionários, segundo informações da Polícia Militar. O ato segue pacífico, de acordo com a PM.

 

Veja também:

link'Já é tradicional termos greve em maio', diz reitor da USP

 

Os manifestantes, em greve desde o último dia 4, prometem impedir também a entrada do reitor João Grandino Rodas, segundo informações do Sindicato dos Funcionários da USP (Sintusp).

 

A categoria reivindica aumento salarial de 16%, mais R$ 200, e a volta da isonomia salarial entre professores e os demais funcionários. Amanhã, os grevistas irão lotar 12 ônibus, que sairão de São Paulo, para participar de um ato unificado entre as três universidades em greve na Unicamp, onde fica a sede da presidência do Cruesp.

Mais conteúdo sobre:
greveUSPreitoria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.