Funcionários da USP paralisam atividades 5 meses após greve

Servidores reivindicam aumento de R$ 200 nos salários e auxílio alimentação de R$ 250 prometidos pela reitoria

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

13 de novembro de 2007 | 12h12

Os funcionários da Universidade de São Paulo (USP) paralisaram as atividades nesta terça-feira, 13, para reivindicar a incorporação de R$ 200 nos salários dos funcionários e o auxílio alimentação de R$ 250, que teria sido prometidos pela reitoria em junho, após o término da greve.   Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), a paralisação foi acertada na última assembléia feita com os trabalhadores no último  dia 6.   Segundo a assessoria da USP, cerca de 30 pessoas estão em frente á reitoria, com um carro de som, protestando contra o não cumprimento do acordo, que deveria ter entrado em vigor em outubro, e aguardando uma reunião com a reitora Suely Vilela.   Ainda segundo a assessoria de imprensa, há poucos setores parados na universidade e as aulas estão acontecendo normalmente.

Tudo o que sabemos sobre:
USPgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.