Fraude em vestibular incluía sonífero para concorrentes

A fraude do vestibular 2002 da Universidade Federal do Acre misturou eletrônica com química. Candidatos que nãoparticipavam da fraude foram sedados mastigando chiclete outomando suco no café da manhã nos hotéis onde estavam hospedados. A história foi reveleda à Polícia Federal pelo estudante André Guimarães da Cunha, um dos participantes do golpe. Com uma seringa, os candidatos injetaram soníferos em chicletes, dotipo recheado, e contratarm garotas para distribuí-los nos locais deprovas. As garotas vestiram-se como promotoras de venda da marca.Outros candidatos misturaram o medicamento no suco do café da manhã, servido em três hotéis. os detalhes foram divulgados pelo procurador chefe da República no Acre, Marcus Vinicius Aguiar Macedo.Nesta quarta-feira, a romena Ioana Russei, 30 anos, considerada um dos cérebros da quadrilha, foi interrogada pelo juiz federal Jair Facundo. O juiz deverá julgar pedido do Ministério Público Federal para que os acusados que colaboraram com as investigações, como Ioana, obtenham perdão judicial.

Agencia Estado,

04 de agosto de 2004 | 23h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.