França: Destaque para Direito e Cultura

País é o quarto que mais recebe alunos estrangeiros, atrás de Estados Unidos, Reino Unido e Austrália

Luciana Alvarez, Especial para O Estado

26 de fevereiro de 2019 | 03h00

Com desejo de mudar o foco de sua atuação do direito empresarial para direito público, Victor Cavalcante decidiu fazer uma pós-graduação na França. “Fazia mais sentido vir para cá porque é um lugar que tem esse ramo do Direito mais desenvolvido, diferente dos países anglófonos, conhecidos pelo direito privado”, explica o advogado, no primeiro ano do mestrado. A cultura francesa também contou. “Os franceses são referência para o mundo todo em Filosofia, Ciências Sociais e Políticas.” 

Mesmo restringindo a procura para dentro da França, havia várias instituições com programas de mestrado atraentes. “Pelo menos cinco universidades me interessavam. Para escolher bem é preciso ler a ficha de apresentação de cada uma, que traz o tipo de aula, que disciplinas oferece, para que emprego é voltada. Também procurei rankings de consultorias independentes”, diz Cavalcante, que ficou na Universidade Paris 1 Panthéon-Sorbonne.

“Apenas na cidade de Paris, há 13 universidades públicas”, lembra Pauline Charoki, cofundadora do Instituto de Estudos Franceses e Europeus de São Paulo (Ifesp), que presta consultorias para intercâmbio e dá aulas de francês. Embora cada instituição tenha autonomia para definir seus critérios, uma facilidade para estudar no país é que as principais escolas realizam seus procedimentos de seleção por meio de uma única plataforma online. Chamada Campus France (campusfrance.org), ela é uma agência governamental ligada aos ministérios da Educação e das Relações Exteriores. 

O país é o quarto que mais recebe alunos estrangeiros, atrás de Estados Unidos, Reino Unido e Austrália. “A França atrai para áreas como Relações Internacionais, Ciências Políticas e Sociais, Direito, Letras, e tudo o que é ligado à cultura”, afirma Pauline. Mas ressalta que o país também tem instituições de referência em setores como Engenharia e Medicina. “O governo oferece muitas bolsas em Saúde.” Para quem não é francês, o valor da anuidade de um mestrado em uma instituição pública (sem bolsas) será de cerca de ¤ 4 mil (R$ 17 mil) no próximo ano letivo.

Depois do desafio da escolha da instituição e da candidatura - Cavalcante contou com a ajuda da consultoria do Ifesp - , o advogado está focado nos desafios do padrão francês de ensino. “É preciso uma adaptação às formas de escrever que eles exigem. É bem diferente do Brasil, é mais profundo.” O esforço, acredita ele, vai valer a pena. “É de fato um ensino de excelência. Vou voltar para o Brasil muito bem preparado.”

Estrutura. O primeiro ano de mestrado na França (M1) é de conhecimentos gerais. No segundo (M2), mais específico, deve-se escolher entre as vias profissional e pesquisa. Como a graduação no Brasil tem duração superior à da França, os brasileiros podem se candidatar diretamente ao segundo ano. Mas o processo de ingresso no M2 é mais rigoroso do que no M1. 

Bolsas para estudar na França

Há cerca de 200 programas de bolsa para estudantes que pretendem fazer graduação, mestrado ou doutorado na França. Para cursos com início em setembro de 2019, três estão com vagas abertas:

Université Paris-Saclay: Com duração de um ou dois anos, as bolsas são válidas para programas de mestrado, em francês ou inglês. A universidade, que reúne diversas áreas do conhecimento, inclui 19 instituições francesas. O valor anual é de 10 mil euros e cobre até 1 mil euros de despesas com viagem e visto. Até 13 de maio. Informações aqui

Bolsa Victor Hugo: Bolsa de 12 meses para cursos da Université de Franche Comté inclui taxa de matrícula, acomodação em residência estudantil e duas refeições diárias no restaurante universitário, além de curso intensivo de francês em julho e agosto. Até 1º/3. Informações aqui

Master IDEX - Grenoble: Cobre mestrados na École Nationale Supérieure d’Architecture de Grenoble (ENSAG), no Institut Polytéchnique de Grenoble (INP), no Sciences Po Grenoble ou na Université Grenoble Alpes (UGA). Com valor anual de 8 mil euros, dura um ou dois anos — ou 5 mil anual, caso o aluno faça estágio remunerado. Até junho, com diferentes prazos. Informações aqui

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.