Fórum de Educação fecha posição contra acordos na OMC

A declaração final do 3.º Fórum Mundial da Educação, que reuniu representantes de 45 países em Porto Alegre, seguiu o tom dos debates e formalizou a posição intransigente contra a privatização do ensino e os acordos internacionais que visam abrir os serviços de educação a empresas estrangeiras.Os participantes do fórum criticaram principalmente as negociações na Organização Mundial do Comércio (OMC), que podem levar países como o Brasil a abrir suas escolas a investidores externos.O francês Bernard Charlot, representante do Conselho Internacional do Fórum, comentou no encerramento do evento, no sábado, que a educação não pode ser mercantilizada, e deve estar ligada à solidariedade."A educação é um direto inalienável do ser humano. Os seres humanos são todos iguais e, por isso, temos que defender uma educação para todos, indistintamente. Sem ela, não teríamos a ligação entre as gerações e a história da existência humana. A solidariedade é, sem duvida alguma, um componente da educação", afirmou.

Agencia Estado,

02 de agosto de 2004 | 13h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.