Divulgação/FGV
Divulgação/FGV

FGV oferece graduação em inglês para alunos de Administração

Curso é ministrado na língua estrangeira, com material adaptado e professores brasileiros

Luiza Pollo, O Estado de S. Paulo

19 Setembro 2016 | 07h00

A Fundação Getulio Vargas (FGV) oferece há três semestres uma turma de graduação em Administração em inglês. Com os mesmos professores e material adaptado, todas as aulas, discussões e avaliações são feitas na língua estrangeira. “Uma coisa é falar inglês, outra é falar business em inglês. Isso vai ser um diferencial competitivo importante para os nossos alunos”, afirma o coordenador do curso de graduação em Administração, Nelson Barth.

Diego Benetti é um dos alunos da primeira classe da modalidade. Ele está no terceiro semestre e tem a convicção de que terá um diferencial na formação. “Só na GV entram 200 alunos por semestre, no meu curso. Na hora de sair, vamos ser só aproximadamente 25% com esse contato mais específico com a língua”, explica.

A turma é aberta para 40 alunos por semestre. A opção é feita só na hora da matrícula, depois de o aluno ter sido aprovado na instituição. No total, são 98 vagas pela prova da Fundação, 98 pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e quatro reservadas para o processo seletivo internacional.

É preciso ter bom domínio da língua para poder escolher o curso. Se o aluno nunca estudou fora, é incentivado a conversar com uma professora para testar o nível de fluência na língua e descobrir se vai se sentir à vontade na turma. “É algo bem informal. Mesmo assim, se optar pelo inglês e não se adaptar, o aluno pode trocar ao fim de qualquer semestre”, explica Barth. Gabriel Abib nunca morou em outro país, mas sabia que estava preparado para o curso. "Estudei a vida inteira em escola internacional, sempre tive aulas em inglês. Quando apareceu essa oportunidade, não pensei duas vezes”, conta.

Os professores da instituição já estão acostumados a dar aulas em inglês. A FGV oferece há décadas algumas disciplinas eletivas na língua estrangeira e alguns docentes já tiveram experiências em outros países. Mateus Canniatti Ponchio, professor do curso, explica que, às vezes, alguns alunos o procuram depois das aulas para tirar dúvidas. “Mas sempre conversamos em inglês. Eu explico de novo, no quadro se precisar, mas tudo em inglês.”

Caroline Colozio, estudante do terceiro semestre, afirma que considera a cobrança importante. “Os professores incorporam bem o papel. Eles insistem bastante, quando estamos fazendo um trabalho em grupo, para não discutir em português. Eu acho que a sala tem bastante maturidade para respeitar isso.”

De olho na internacionalização, a instituição estuda replicar o modelo em outros cursos. Por enquanto, Barth afirma que recebe feedback dos alunos e discute ajustes que ainda podem ser feitos. “A gente não gosta de ter alunos passivos. Queremos dar uma formação crítica, e isso começa aqui dentro”.

Vestibular FGV 

Inscrição: até 13/10/2016

Valor: R$ 150

Locais de prova: São Paulo, Salvador, Londrina, Ribeirão Preto, Campo Grande, São José dos Campos, Goiânia ou Recife.

Seleção:

Submeter carta de motivação e dissertação sobre interpretação do Brasil contemporâneo até 18/11/2016

1ª fase: Módulo objetivo e discursivo: 04/12/2016

Resultado da primeira fase: 06/01/2017

2ª fase: Exame oral: 11 a 13/01/2017 - apenas os 392 candidatos selecionados

Resultado final: 20/01/2017

Seleção pelo Enem:

Inscrição: até 30/11/2016

Valor: R$ 50 

Submeter carta de motivação e dissertação sobre interpretação do Brasil contemporâneo até 9/12/2016

2ª fase: Exame oral - apenas os 294 candidatos selecionados

Datas do exame oral e do resultado final dependem da divulgação dos resultados do Enem pelo governo federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.