Federais estão sem dinheiro para o vestibular

O processo de vestibular das universidades federais está ameaçado pela falta de verbas. Foi o que afirmou nesta quinta-feira o presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Mozart Neves.Ele e outros 40 reitores estiveram nesta quinta no Ministério da Educação e no escritório de transição do governo Luiz Inácio Lula da Silva. As universidades querem receber R$ 127 milhões em recursos previstos no Orçamento, referentes aos meses de novembro e dezembro. Segundo Neves, os recursos foram retidos com base em dois decretos.A explicação que o presidente da Andifes ouviu no Ministério da Educação foi que a medida teria atendido a um pedido da equipe de transição. Com isso, até mesmo recursos próprios das universidades, como a arrecadação com taxa de inscrição em vestibulares, estão retidos.Ele cobrou uma explicação do coordenador-adjunto da transição, Luiz Gushiken, que negou o pedido de bloqueio e ficou de levar a questão ao coordenador-geral, Antônio Palocci Filho. Segundo o Ministério da Educação, o bloqueio dos recursos se deve ao contingenciamento de despesas imposto a todo o governo federal.Com a falta de dinheiro, a universidade não tem honrado despesas normais, como as contas de água e luz. Por isso, Neves teme que as universidades não tenham meios de preparar o vestibular. A Universidade de Pernambuco, por exemplo, deve R$ 2 milhões. As dívidas da Universidade Federal do Rio de Janeiro chegam a R$ 12 bilhões, e as da universidade de Minas Gerais a R$ 1,4 milhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.