FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Federais: Chance nas públicas

Universidades oferecem uma segunda oportunidade de ingresso ainda em 2015. Segundo levantamento do Estado, 24 instituições devem abrir vagas

DENISE ALVES BONFIM- ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

19 Maio 2015 | 03h00

Ainda dá tempo de estudar em uma universidade federal em 2015. É o que aponta o levantamento realizado pelo Estado com 60 universidades federais em todas as regiões do Brasil. Até o fechamento desta edição, 24 instituições confirmaram a abertura do vestibular para o segundo semestre. A seleção levará em conta as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014.

O processo de ingresso em graduações será realizado pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação (MEC). A relação final das instituições com vagas será divulgada pelo MEC pouco antes da abertura das inscrições, feitas pelo site www.sisu.mec.gov.br. O calendário oficial deve ser divulgado pelo MEC entre o fim de junho e o começo de julho.

Em São Paulo, segundo o levantamento feito pelo Estado, nenhuma federal abrirá vagas. Mas no Rio de Janeiro e em Minas várias instituições – entre elas, a Universidade Federal Fluminense (UFF) e o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) – informaram que terão nova seleção. Outras que devem participar do processo são a Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Nordeste, e a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Sul.


Enquanto os editais não são divulgados, o total de federais com vagas pode sofrer alterações. Algumas não definiram se abrem vagas, outras não fecharam a quantidade. Em algumas, haverá ingresso na segunda metade do ano, mas os calouros já foram selecionados na edição do Sisu de janeiro. Só a Universidade de Brasília (UNB) informou que não usará o Sisu e fará vestibular, mas as inscrições estão encerradas.

Confira a seguir as universidades federal que devem abrir vagas para o segundo semestre:

Região Norte

UNIFAP (Universidade Federal do Amapá)

UFAC (Universidade Federal do Acre)

UFAM (Universidade Federal do Amazonas)

Região Nordeste

UFAL (Universidade Federal de Alagoas)

IFBA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia)

UFBA (Universidade Federal da Bahia)

UFMA (Universidade Federal do Maranhão)

UFCG (Universidade Federal de Campina Grande)

Região Centro-Oeste

UnB (Universidade de Brasília)

UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul)

Região Sudeste

UFES (Universidade Federal do Espírito Santo)

CEFET-MG (Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais)

UFLA (universidade Federal de Lavras-MG)

UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais)

UFSJ (Universidade Federal de São João del Rei)

UFTM (Universidade Federal do Triangulo Mineiro)

UNIFAL (Universidade Federal de Alfenas)

UFF (Universidade Federal Fluminense)

UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro)

UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro)

Região Sul

UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná)

UFSM (Universidade Federal de Santa Maria)

Unipampa (Universidade Federal do Pampa)

Vestibular 'menos difícil'

“Vou prestar Medicina na Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ-MG) e em outra estadual, em Mato Grosso. Já cheguei a começar o curso de Odontologia, mas larguei e estou no quarto ano do cursinho, estudando quase o dia inteiro. Acho que é “menos difícil” passar no vestibular no meio do ano. Além da nota de corte um pouco mais baixa, muita gente que tenta acaba não indo pela distância. Eu tentaria em qualquer Estado. Medicina é o meu sonho.”

Pedro Perussi, que faz prova para a federal de Minas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.